Avançar para o conteúdo principal

Livro "O Monge que Vendeu o seu Ferrari" - Robin Sharma

Livro _O_Monge_que_Vendeu_o_seu_Ferrari_Robin_Sharma
Provavelmente muitos de vocês já leram o livro "O Monge que Vendeu o seu Ferrari". Eu só o li agora e percebo porque faz tanto sucesso. Adorei e a principal razão de ter gostado tanto dele é pelo facto de me ter apercebido que de uma forma ou de outra, já pratico um pouco a sabedoria do Julian, mesmo sem saber. Senão vejamos.

Os meus momentos de silêncio matinais são cada vez mais introspectivos. penso muito naquilo que realmente gosto de fazer e nos passos que preciso dar para manter o que tenho e chegar onde quero. Muito focada, mais do que antes.

Quem sofre de ansiedade, sabe que a nossa mente inventa problemas onde eles não existem e dramatiza tudo ao quadrado. Uma técnica que me tem ajudado imenso é forçar o pensamento numa situação específica que me acalme. E recorro a ela sempre que me sinto mais em baixo. Tentar encontrar algo de positivo em todas as situações, principalmente nas difíceis, também ajuda. Faz-nos mudar a perspectiva e relativizar. 

Deixei de fazer planos no início do ano. Se houve coisa que o minimalismo me trouxe foi a capacidade de selecção. Mais do que destralhar coisas, tenho destralhado pensamentos. Procuro apenas concentrar-me em fazer aquilo que me deixa feliz, dando pequenos passos em direcção a esse objectivo, seja em que altura do ano for. E ser persistente. Mesmo que faça pouco, o importante é fazer. 

Aos poucos também vou tendo a calma e serenidade para perceber que tudo tem um tempo certo para acontecer. Não preciso querer fazer todos os projectos aos mesmo tempo. Se há algo que não resulta, então é porque ainda não era a altura certa disso acontecer. 
Em seguimento disto vem a parte do desenvolvimento pessoal. Para que possamos ver sucesso exterior, precisamos trabalhar primeiro o nosso interior. E é óbvio que não estou a falar de sucesso financeiro, estou a falar de algo tão simples como ter percebido que para poder ensinar ao meu filho a ter mais calma, a saber lidar com a frustação e a não sofrer tanto por antecipação, tive de trabalhar primeiro essas coisas em mim. Porque mais do que as palavras, o que eles copiam mesmo são as nossas acções e atitudes no dia-a-dia. 



Outra parte importante do livro é quando se fala sobre a questão de aproveitarmos melhor o tempo, não necessariamente de forma quantitativa mas qualitativa. Seleccionar apenas e só aquilo que está de acordo com o que queremos alcançar. Daí a introspecção e o silêncio diários serem tão importantes para não perdermos o rumo.

Ajudar os outros é mais um dos ensinamentos de Julian. E apesar de sentir que consigo fazer muito mais do que faço, percebo o que o autor quer transmitir quando diz que quando trabalhamos para melhorar a vida do outro, indiretamente estamos a melhorar a nossa também. 

Deixei para o fim a parte que eu penso que é a mais importante, talvez por ser aquela que tenho tentado trabalhar mais e a que tem tido um impacto mais produndo na redução dos meus níveis de stress e ansiedade, viver o presente (lá está o nome do blog). Em constante aprendizagem mas muito feliz por olhar para trás e sentir que fiz um grande progresso. 

E sim, isto de certa forma é a review do livro. Mais do que recomendadíssimo!

Reviews de outros livros





Nota: livro trazido da biblioteca.

Comentários

  1. Boa sugestão! Aproveito para desejar um Santo Natal! Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Manuela.
      Obrigada. Desejo-lhe um feliz ano novo com muita saúde para si e para os seus. Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…