Avançar para o conteúdo principal

Como melhorei o meu vestuário sem perder conforto


Quem me acompanha há algum tempo, sabe que ando numa luta para melhorar o meu vestuário. 

Não tem sido fácil porque isto de me querer vestir melhor sem perder o conforto tem que se lhe diga. A ajudar à festa, tenho imensa dificuldade em encontrar roupa com qualidade e confortável, que não custe um rim.
Não sei se sou eu que sou esquisita (se calhar sou!) mas a verdade é que vestuário com uma boa relação qualidade/preço encontro muitas vezes em lojas como o Aldi e o LIDL.

Outra questão importante nesta caminhada era o de não querer passar a ter carradas de roupa. Estando o minimalismo cada vez mais presente em diversas áreas da minha vida, na roupa não iria ser diferente. 

Neste post que fiz sobre como ter um vestuário minimalista (ou se quiserem, um armário cápsula), falei sobre o que faço para conseguir isso. Na verdade, eu já aplicava muitas das dicas bem antes de se falar sobre este assunto. 
A diferença agora é que uso praticamente todas as peças que tenho no roupeiro e antes pegava apenas em 20% a 30% delas. 





Não digo que tem sido fácil. Há muita tentativa erro e também o facto de eu detestar andar em lojas de roupa (sim, para mim é tormento). Mas considerando que neste momento gosto de andar por casa com roupa decente, como se fosse sair, é de dizer que fiz grandes progressos. 

Antes de partilhar as dicas que me ajudaram, quero só lembrar que tudo o que escrevo neste blog é fruto da minha experiência, como vocês já sabem. Logo, não há cá modas, tendências ou regras. É apenas e só uma partilha do que fiz para conseguir melhorar a minha forma de vestir e, no fundo, cuidar mais de mim (porque sim, faz maravilhas pela auto-estima). 

Para começo de conversa, mostro-vos uma foto do que eu costumava vestir constantemente, pelo menos dentro de casa. Quase que se podia chamar farda. Horrível, não é? (e a minha casa, tão diferente do que é actualmente!)

Como melhorei o meu vestuário sem perder conforto

Livrei-me do vestuário tipo fato-de-treino

Considerem este tipo de roupa como se fosse droga. Se estiver lá à mão de semear, vai ser muito mais difícil resistir. Por isso, a melhor dica que vos posso dar é a de não a ter em casa. Resultou na perfeição comigo e forçou-me a olhar para outras opções igualmente confortáveis.

Jeggings em vez de leggings

Das melhores mudanças que fiz. O conforto está lá todo mas o visual muda completamente. Além disso, os tecidos têm mais qualidade e são mais resistentes. Outra coisa que também gostei muito nesta mudança foi o facto de não precisar de usar cinto com os jeggings, algo que tinha de fazer com calças normais (e a razão pela qual não resistia a usar leggings)


Usar camadas de roupa fina

Uma das razões para usar muitas vezes aquele tipo de vestuário era o frio. Como era de um tecido bastante grosso, basicamente vestia só aquilo com uma camisola interior e ficava bem, sem me sentir enchouriçada. 
Como deixei de usar essa camada exterior tão grossa, a solução foi acrescentar uma interior extra, mais fina. Resultou tão bem (ou melhor ainda), que quase nem usava casaco quando saía, de tão quente que estava.


Usar mais padrões

É claro que padrões não tem muito a ver com conforto, claro. O que mudou foi a questão de me vestir sempre da mesma forma ou da roupa ser demasiado básica. Se tiver uma calças lisas, com uma camisola simples e um casaco também ele sem nenhum padrão, fica tudo um aborrecimento. Assim, comecei a escolher camisolas com algum tipo de padrão, fossem riscas, bolinhas ou flores. E mesmo que não usasse na camisola, usava num lenço ou cachecol. 

Usar roupa com algum detalhe diferente

Eu era aquela pessoa que tinha 5347 casacos todos com o mesmo formato mas em cores diferentes. Que horror!
Doei muitos deles (e calças também) e fiquei apenas com os que tinham algum apontamento diferente, fosse no comprimento, no facto de não ter botões ou até no tecido. Com camisolas, tento que tenham algo especial, ou folhos ou renda ou algum desenho ou algum brilho, mas sem exageros. Faz toda a diferença.





Usar acessórios
Detesto usar fios, colares, relógios e afins. Talvez por ser alérgica ao níquel (fico logo cheia de comichões), tenha deixado de usar a maior parte deles. No entanto, sei que complementam (e muito) a roupa que vestimos. Por isso, ando a fazer um esforço para tentar usar alguma coisa. O que me tem ajudado imenso são os lenços, que passei a usar com mais frequência.


Usar uma peça mais formal com outra casual
Um exemplo disto são calças de ganga com um blazer. Gosto muito de ver e tenho tentado usar mais vezes.

E são estes truques que me têm ajudado a dar aqui uma volta na minha forma de vestir, sem perder o conforto.

Por aí, também têm esta luta? O que fazem? Partilhem a vossa experiência e dicas, que sendo eu uma leiga nesta matéria, toda a ajuda é bem-vinda.


Comentários

  1. A meu ver estás no bom caminho!
    Só o simples facto de melhorares a imagem e fazeres alterações tão simples mas tão notórias já permite que te olhes ao espelho com mais vontade e que a autoestima vá aumentando gradualmente. ;)
    Ao nível de peças de roupa bonitas, baratas e de qualidade hoje em dia por vezes é mesmo uma luta encontrar. No entanto, o meu conselho tanto enquanto Consultora de Imagem como a nível pessoal é optar por visitar de forma assídua os Outlets. São verdadeiras minas de achados e, muitas vezes, com coleções bem giras! ;)
    Boa semana,
    Beijinho
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cris.

      Muito obrigada pelo comentário. Sem dúvida que a minha autoestima aumentou e para dizer verdade, foi a melhor mudança. Obrigada pela sugestão. Foi ficar atenta aos outlets.

      Bjs e boa semana também.

      Eliminar
  2. Considerando que tenho imensa dificuldade em encontrar roupa e calçado que me sirvam, ir às compras para mim é uma tortura e fico feliz se encontrar algo que consiga enfiar, como tal acabo por andar quase sempre com o mesmo, apesar de até ter um roupeiro bastante cheio... muita coisa que já não me serve mas que não fui ainda capaz de despachar porque há peças que gosto imenso e porque estou sempre na esperança de um dia voltar a conseguir vesti-las!
    Ainda tenho um longo caminho a percorrer nesse capítulo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Assunção.

      Neste momento posso dizer que não tenho nada no roupeiro que não vista. É claro que há peças que visto com mais frequência do que outras mas se começo a notar que há algo que vai ficando constantemente para trás, ponho de parte para dar.

      Também já estive muito longe disto. O que me ajudou foi ir fazendo um pouco de cada vez e procurar muita inspiração.

      Bjs

      Eliminar
  3. Olá!!

    Gostei muito das dicas. São muito úteis!!!

    :-)

    P.S- tens um desafio no meu blogue

    ResponderEliminar
  4. As mudanças na nossa vida, implicam sempre um grande esforço da nossa parte. Na maioria dos casos resulta em coisas boas, e se conseguirmos tirar partido disso melhor ainda.
    No seu caso concreto, só tem coisas boas, continua confortável e com mais charme, assim sendo PARABÉNS pela mudança.

    ResponderEliminar
  5. Por vezes acabamos por ter tanta coisa no armário que nem usamos...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade! Estou a doar tudo o que não uso. O objectivo é só ter no armário aquilo que efectivamente visto.
      Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…