Avançar para o conteúdo principal

Treinar a leitura nas crianças - Dica colocada na prática

O Tiago foi este ano para a primeira classe e teve alguns problemas com a leitura. Basicamente, não percebeu que adivinhar não é, decididamente, um bom método para conseguir ler. Por isso, foi necessário arranjar alguns truques para que ele treinasse a leitura mas sem sentir que era um trabalho. Um desses truques é fazer uma caça ao tesouro, sendo que o tesouro não tem de ser um brinquedo (desta vez foi mas já fiz outros em que não tinha brinquedos), pode ser um passeio ou uma actividade especial. Posso dizer que tem ajudado muito porque ele tem vindo a melhorar de dia para dia. Este é só um exemplo. Ah, e falta dizer que lhe dificultei a tarefa pois teve de ler muitos papelinhos e andar pela casa toda à procura das pistas.
Para mais dicas, podem ir a este post.

Nota: nesta altura ele ainda só conseguia ler algumas palavras pois as letras dadas eram ainda poucas. Mas podem adaptar colocando frases ou pequenos textos.

Comentários

  1. Olá Anabela. Gostei muito deste e do outro post que sugeriste com actividades que estimulem a leitura. Eu também tenho uma filha que frequenta o 1º ano e o que eu acho é que a professora avança demasiado depressa pra a a letra seguinte quando, julgo que as letras anteriores ainda não foram devidamente assimiladas. 1º há letras com sons muito semelhantes ( dê, pê, tê, lê, mê, nê etc) para nós podem parecer sons distintos mas para crianças pequenas nem sempre são assim tão óbvios; depois, como sabemos, a língua portuguesa não é fácil e às vezes nem eu sei explicar porque é que às vezes, por ex, a letra E assume sons diferentes; bem sei que o E sozinho tem o som I e que no fim das palavras tem um som fechado mas às vezes lê-se É mesmo sem acento, sei que isso tem a ver com a sílaba tónica mas como explicamos estas subtilezas da nossa língua a uma crianças de 6 anos?
    Na minha opinião é fundamental adquirir hábitos de leitura desde cedo para as crianças se familiarizarem com as palavras, tenho uma outra filha com 12 anos que ainda dá erros que já não se admitem, não lê nem consigo que se interesse mas, tal como dizes, além dos erros ortográficos começam a surgir outros problemas de compreensão que vêm de uma leitura deficiente... alguma sugestão para estas idades?
    Muito obrigada pela atenção e peço desculpa pelo tamanho do comentário.
    Uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Dulce, não tem de pedir desculpa pelo comentário. Eu gosto muito desta interecção e partilha de experiências.
      Também me é difícil explicar isso, só mesmo treinando muito. Este ano, curiosamente, tenho cá dois miúdos de 1º ano (nunca tinha tido) e no início eles tiveram algumas dificuldades mas à medida que vão treinando, começam a perceber como é e já se notam grandes progressos. Agora, vai de miúdo para miúdo. Uns têm mais facilidade do que outros. Fazer leitura no dia-a-dia, sem ser só na escola, ajuda muito. Noto isso no Tiago, que teve a suas dificuldades iniciais. É uma questão de ter paciência para ir treinando sempre que pode e esperar que desenvolva a partir daí.
      Bjs e cá espero mais comentários assim ;)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…