Avançar para o conteúdo principal

Vale a pena conhecer #2 - Museu da Lourinhã

Fiquei a conhecer o Museu da Lourinhã porque recebi um vale para uma entrada, num daqueles brinquedos de fósseis da Science4You. Chamou-me logo à atenção pela exposição de paleontologia. De certeza que o Tiago ia adorar, pensei. Guardei o vale e planeei uma visita no Outono. Assim foi. Há duas semanas atrás fizemos o passeio. Não disse nada ao Tiago para ser surpresa. Ele só descobriu quando chegou à entrada e viu um poster gigante com dinossauros. Ficou numa excitação que nem vos conto. Pagámos as entradas (1 bilhete de adulto e outro de criança ficaram por 6€, o outro foi grátis porque tinha o vale) e lá fomos. E é agora que vos digo que também eu e o maridão ficámos agradavelmente surpreendidos. Como não cheguei a ver o site do museu, apenas fotos numa simples pesquisa, não sabia que tinha tanto para visitar. Assim, além da exposição de paleontologia (onde o Tiago delirou), há também a de arqueologia e etnografia. Pudemos ver, entre muitas outras coisas, instrumentos artesanais na agricultura, objectos relacionados com várias profissões e o interior de uma casa saloia (que tanto me fez lembrar a casa da minha avó). No pátio, ainda se pode encontrar um espaço onde as crianças podem brincar aos arqueólogos e descobrir fósseis enterrados na areia. Saímos de lá com o coração cheio. Adorei ver tudo e recomendo vivamente que visitem. Não se vão arrepender. Fica a reportagem fotográfica.
Vejam lá se reconhecem estas cadeiras de algum lado!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Finalmente consegui!!!

Olá a todos.

Há já algum tempo que pedi ajuda aqui no blog para perceber o que é que fazia mal quando tentava fazer pão em bolinhas. O post foi este e nele recebi uma ajuda preciosa da Humming. Na altura recusei-me terminantemente a comprar um máquina de fazer pão porque queria aprender a fazer sozinha. Bom, mas parece que a minha teimosia não venceu porque acabei por comprar uma.

De qualquer forma continuei com o mesmo problema, o pão fica massudo e nunca com aquele aspecto fofinho que vejo em muitos blogues. Acabei por me resignar à evidência de que o problema estaria no meu forno, ou, pelo menos, pensava eu.

Bom, mas o que quero contar é que no outro dia (não sei bem porquê) fiz uma coisa diferente que foi desfazer o fermento em cima da farinha em vez de o derreter na água morna. Então não é que a massa ficou muito melhor para moldar e as bolinhas ficaram fofinhas?! Nem queria acreditar! Será que andava a fazer isto mal o tempo todo? Fica aqui uma imagem das bolas fofinhas que me sa…

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…