Avançar para o conteúdo principal

Projecto da semana* - Cabeceira de cama em madeira

 
 
 
 
 
Antes de mais, desculpem as péssimas fotos. É que este projecto já foi feito há algum tempo e na altura não tinha o smartphone, cuja máquina fotográfica é um bocadinho melhor do que a que tinha. 
Cá em casa, temos um quarto de hóspedes, que na verdade é o quarto dos meus sogros  quando passam cá uns dias. Esse quarto tinha, tal como o meu, uma decoração horrorosa. Na altura que mudei, quis deixar o quarto minimamente apresentável e a decoração foi coisa com que não me preocupei. Com o tempo e depois de perceber que tipo de decoração gostávamos mais, comecei a pensar como poderia mudar o quarto para estar mais de acordo com o nosso gosto. 
Sendo este um quarto extra, em que a maior parte dos dias ninguém dorme lá, podíamos usá-lo como uma espécie de cobaia. Experimentar uma solução decorativa diferente sem ter a pressão de terminá-la rapidamente. 
O que pensámos foi fazer uma cabeceira em madeira. Inicialmente ainda ponderámos fazer a parede toda mas rapidamente desistimos da ideia pois a parede já é enorme o suficiente. No fim ficámos muito felizes com o resultado. O que fizemos? 

Primeiro comprámos as ripas, que tinham talvez com uns 2cmx1cm e com altura igual ou superior à parede (penso que o maridão as cortou na altura) e os parafusos (imagem) para as prender à parede. Esta parte tem de ser muito bem feita e não poupem na qualidade dos parafusos porque são as ripas que vão segurar toda a madeira da cabeceira.

Comprámos igualmente as madeiras (lambrim) junto com as peças que as seguram às ripas e umas às outras (ver imagem). Para saberem a quantidade de madeira, basta dividirem a altura da parede pela largura de cada uma. Comprem sempre a mais, nunca à justa. 

Já em casa, foi tempo de cortar as ripas e as madeiras porque nem uma nem outra tinham o tamanho certo. Medimos a largura da cama e colocámos cinco ripas com o mesmo espaço entre elas. Depois o maridão fez os furos na parede e nas ripas. Quatro em cada uma.  Com tudo bem seguro, era altura de começar a tarefa chata de colocar o revestimento em madeira. Penso que pelas imagens conseguem perceber como se faz. De qualquer forma deixo um vídeo no final para perceberem melhor todo o processo (neste caso o lambrim foi colocado verticalmente).

Para finalizar, comprei um verniz incolor natural da Biofa e é a tarefa que ainda me falta fazer. Amanhã mostro-vos o resultado final com o quarto praticamente todo renovado. 

Qualquer dúvida já sabem, é só usar a caixa de comentários. 

Comentários

  1. Está a ficar muito giro!!!! Também fizeste a do teu quarto? No outro dia estive para te perguntar isso. Eu mandei fazer uma parecida (ia fazer DIY mas não tive coragem). bjs x

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paula. No meu quarto apenas fiz uma capa para a cabeceira que já vinha com a cama. Podes ver aqui http://www.aproveitaravida.pt/2015/01/tutorial-capa-para-cabeceira-da-cama.html

      Bjs

      Eliminar
    2. Não tinha visto! Ficou perfeito, mãozinhas de fada :) Depois logo mostro a minha, só n posso fazer o tutorial porque o estofador não deixa tirar fotos do durante ahahaha Bjs xx

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…