Avançar para o conteúdo principal

Utilizações para o soro do iogurte

Desde que aprendi a fazer iogurtes gregos, que não quero outra coisa. Nunca mais fiz iogurtes normais. É certo que são mais calóricos, mais caros (2 litros de leite dão para cerca de 8 iogurtes gregos em vez dos habituais 15/16 dos normais) e dão um bocadinho de trabalho a fazer mas tudo isso é compensado pelo sabor e textura maravilhosos com que ficam. E nada tem a ver com os de compra, que na sua maioria levam natas e espessantes para ficarem assim cremosos. E mais, podemos escolher a cremosidade conforme o nosso gosto, basta que deixem mais ou menos tempo a escorrer.

Mas o objectivo deste post tem a ver com o que fazer ao soro que sobra da confecção dos iogurtes. Antes deitava-o fora (que crime!) mas uma leitora perguntou-me o que fazia com ele, visto que ela o reutilizava para pão e sopas (obrigada pelo comentário Teresa C.). Fiquei curiosa e acabei por ir pesquisar um pouco mais sobre o assunto.

Fiquei então a saber que este soro tem um valor nutricional muito rico. Excelente fonte de minerais, aminoácidos essenciais e lactobacilos, aquelas bactérias benéficas para o nosso intestino. E a partir daqui comecei a procurar formas de utilizar este líquido maravilhoso, principalmente para o Tiago, que tem um intestino muito sensível. Descobri então que há imensas formas de o utilizar. Umas já testei e outras ainda vou experimentar.

Pão e bolos

Engrossar molhos
Em substituição da água ou natas, metem farinha e o soro.

Puré
Em vez de leite, meto o soro e fica óptimo!

Panquecas e crepes 
Uso o soro em vez do leite.

Regar as plantas
Quando tenho soro mais recente, deito o antigo nas plantas.

Papas de aveia
Uso em substituição do leite. Só é pena ter de aquecer pois retira parte do seu valor nutricional. O sabor fica muito bom.

Sopas 
Adiciono só no final quando vou passar a sopa, para manter o valor nutricional.

Batidos

Marinadas 
Ajudam a tornar a carne mais tenra.

Deixar grãos de molho 
Aqui encontram a explicação.

Mais ideias? É só escrever nos comentários, que adiciono à lista.


Saiba mais sobre o meu dia-a-dia

Comentários

  1. Anabela como eu gosto de te ler, aprendo sempre alguma coisa e isso é muito bom.
    E claro tenho que te agradecer por isso.Parabéns pelas fotografias, estão lindas!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá Anabela,
    Ainda bem que dei uma sugestão útil!...
    E já agora agradeço as outras dicas da possível utilização do soro, tão óbvias mas de que nunca me lembraria....
    Realmente o mundo da blogosfera tem coisas muito boas... As trocas de experiências... a aprendizagem e a evolução resultante de tudo isso...
    Obrigada Anabela. Bem Hajas!...
    Beijão,
    Teresa C.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por compartilhar o seu conhecimento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada Danielle. Gosto muito de o fazer. É assim que vamos melhorando a vida, a aprender uns com os outros.
      Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…