Avançar para o conteúdo principal

Conserva de molho de tomate

 conserva_molho_tomate
Está na altura da colheita do tomate. Trago caixas cheias, da horta do meu pai. O ano passado comecei a experimentar fazer conserva de molho de tomate porque congelá-lo assim fresco não resulta e explico porquê. A primeira razão é que ocupa muito espaço na arca, a segunda é que depois de congelado acabam sempre por ficar bocados grandes agarrados uns aos outros e a última (e mais importante) é que não me ajuda a poupar tempo na cozinha. Colocar tomate congelado nos cozinhados significa que ainda tenho que esperar que a água do mesmo evapore. 

Posto isto, fazer o molho de tomate antecipadamente e depois conservá-lo em frascos tem sido uma maravilha. E gastei os que fiz o ano passado muito antes de estar a fazer estes. Escusado será dizer que me fizeram muita falta, principalmente nas pizzas. Foi por isso que este ano decidi fazer ainda mais e alguns deles especialmente para as pizzas. O processo é um pouco demorado mas vale bem a pena quando quisermos fazer uma pizza rápida. 

Não medi as quantidades do que fiz mas talvez tenha feito uns quatro quilos de tomate. Usei duas cebolas, uma cabeça de alhos, uns três ramos de manjericão, umas três colheres de sopa de oregãos, meia chávena de azeite e sal q.b. Deixem o molho apurar, ou seja, perder grande parte da água que tem (têm de ir mexendo de vez em quando) e no final triturem um pouco com a varinha mágica.

Para a conserva devem ter os frascos esterilizados (coloco-os entre 2 a 3 minutos no microondas e as tampas são fervidas em água durante 5 minutos) e colocar o molho assim que desligam o fogão. Tudo deve ser feito a quente para que não haja desenvolvimento de bactérias.

Depois dos frascos bem fechados, devem ser colocados numa panela ao lume, com água até 2/3 dos mesmos. Quando começar ferver esperar uns 15 minutos e depois desligar. Deixar arrefecer assim como está, dentro da panela (costumo deixar durante a noite). Depois é só retirar, limpar e guardar no armário ou despensa. Não precisa de frigorífico até ser aberto.

Ainda tenho mais algumas ideias na manga. É só uma questão de testar e depois vir aqui partilhar. Aguardem.

Saiba mais sobre o meu dia-a-dia
FACEBOOK | PINTEREST | INSTAGRAM

Comentários

  1. A esterilização faço igualzinho , fervo tudo agora não sabia era depois dos frasco fechados este irem ao lume por mais 15 minutos e deixar arrefecer. ó depois é que se guardam.
    O que eu costume fazer é depois de fechar bem os frascos depois é vira-los ao contrário para fazer vaco, isso acontece quando as tampas fazem "clic" e a tampa fica ligeiramente em baixo.
    obrigado pela partilha :) quanto á receita os ingredientes são os mesmos e a forma de fazer também e ter o molho feito por nós sem corantes nem conservantes e sempre á mão é outra vida !!! Isto sim é qualidade vida, dá trabalho mas vale a pena !!! Beijinhos , Bilocas :) http://acasadabilocas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Engraçado, hoje depois de congelar uns 20kg de tomate pensei, tenho de ir à net descobrir como se faz molho ou polpa de tomate... coincidência ao chegar ao teu blog,( que costumo ler todas as semanas, mas quase nunca comento ) e era a receita que tinhas. Já sei o que fazer aos próximos tomates. Obrigada pela dica :)

    ResponderEliminar
  3. Faço tal e qual como tu. Aliás, tinha já um post preparado para publicar sobre o assunto, mas agora já não sei se o faça :P
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Luarte, faz sim. Manda isso cá para fora. Não temos os mesmos leitores, com certeza e há sempre alguém que aprende alguma coisa. Não te acanhes ;)

    Bjs
    p.s.mais logo já vou comentar os teus posts sobre a Henna. Que grande ajuda me deste, nem sabes.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…