Avançar para o conteúdo principal

Cestos no jardim (preciso da vossa opinião/experiência)

Fonte
Cada vez gosto mais de ver cestos no jardim, como vasos. Esconde-se a parte artificial de plástico dentro de outra mais natural. Gosto da ideia e a minha sogra até tem um ou dois cestos para aproveitar. O problema é que as imagens são muito bonitas mas falta ver aqui a parte realista, como em qualquer foto de revista. Imaginem que tenho cestos lá fora (que até posso recolher no Inverno) e que começa a chover inesperadamente. Os cestos ficam todos molhados. E até secarem, será que vão ficando estragados? Seria melhor protegê-los primeiro com verniz, talvez. Não sei. Não me apetece colocar algo no jardim para, passado pouco tempo, ficar deteriorado. Alguém tem cestos a servir de vasos, na rua? Como contornam este problema?

Saiba mais sobre o meu dia-a-dia
FACEBOOK | PINTEREST | INSTAGRAM

Comentários

  1. Olá Anabela! Cestos no jardim ficam lindos, mas comigo não funcionou:):) Não é pratico retirá-los quando chove, e se não se tiram ficam estragados... Beijinhos, Manuela

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    Tudo o que temos e criamos exige tempo e dedicação para andar bem cuidado, seja uma casa, um animal, alguém de quem gostamos. Como não tenho tempo e ajuda de terceiros, penso sempre na manutenção e nos cuidados e dinheiro exigidos. Por isso, quando falaste na ideia dos cestos no exterior, pensei logo precisamente nos estragos e no tempo que é necessário para que não fiquem danificados.

    Julgo que só funcionará se colocares os cestos em zona exterior mas abrigada (se tiveres). E, mesmo assim, convém lembrar que, na hora da rega das plantas, terás de tirar os vasos e esperar que a água deixe de escorrer. Tens de arejar os cestos com regularidade para não ganharem fungos resultantes da humidade.

    Mas lá que ficam giros, ai isso ficam!


    ResponderEliminar
  3. Muito lindo mas apodrecem... Se tiver um sítio mais resguardado não fará tão mal (por exemplo no meu terraço tenho uma varanda por cima que resguarda bastante) mas não arriscaria. Se a própria madeira apodrece se não tivermos imenso cuidado, fará a palhinha dos cestos. :)

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto muito mas não tenho exactamente por esse motivo :(

    ResponderEliminar
  5. Eu já tive cestos de vime e estavam envernizados, mas ficaram com manchas pretas, tipo bolor mas que não sai.
    Agora optei por paletes, ainda só fizémos umas gavetas para arrumos. Fiz a protecção com o Bondex, já apanharam chuva e até ao momento estão boas.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada pelas vossas respostas. Pois, era o que já estava à espera. Não vou poder colocar porque o local não é resguardado. Este é o problema das fotografias muito bonitas que se vêm por aí. Grande parte delas tem sempre alguma coisa que não é prática ou realista. Vou pensar noutra solução.

    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…