Avançar para o conteúdo principal

Livro "How children learn" - John Holt



Adorei ler este livro e aconselho vivamente. Poderá ser um bocado chato de ler porque o autor faz uma espécie de diário da sua convivência com as crianças mas posso dizer-vos que volta e meia saía-me um "ah, que engraçado!" porque é curioso ficar a saber como é que as coisas funcionam na cabeça dos pequerruchos. Muitas vezes pensava que estava a ajudar o Tiago, em relação às brincadeiras e cheguei à conclusão que era mesmo eu que o deixava desmotivado. A explicação para isto vem num dos pontos mais abaixo.

Fica aqui um resumo do que achei mais importante. Essencialmente passa pela aquisição da linguagem (li a maior parte numa altura em que o Tiago estava a começar a falar mais) e pelas brincadeiras.

- As crianças criam grupos de palavras e só depois alargam e especificam melhor o vocabulário. Ex.: utilizar vaca para chamar tudo o que é gado.

- Nunca devemos corrigir palavras mal ditas, nunca. Faz diminuir a sua auto-estima. Preocupar apenas em dizer as palavras corretamente. Eles chegam lá por eles próprios. Já comprovei isto, com o Tiago, inúmeras vezes.

- Devemos sempre tentar perceber o que nos querem dizer. Ajuda a motivar para falar mais. Outro facto comprovado com a realidade. O Tiago queria sempre que percebêssemos o que dizia, não valia a pena tentar disfarçar para ele desistir, que não deixava.

- As brincadeiras mais simples, menos estruturadas e inventadas na hora são mais apreciadas. Aquelas em que mostramos como se faz são as que menos sucesso têm porque eles sentem-se inferiores, já que não conseguem fazer tão bem. Por exemplo, numa pintura, quando pintava algo mais bonitinho para o Tiago, ele desinteressava-se rapidamente. Depois de ler o livro passei a deixar que fosse ele a começar e tentava imitar. Resultou na perfeição.

Percebi que o melhor é deixar que sejam eles a explorar e a descobrir sozinhos, a trilhar caminho. Estamos lá apenas para ajudar na exploração das descobertas. Isto permite que aprendam sempre por curiosidade e não porque tem de ser.

Um abrir de olhos importante, não deixem de ler.


Comentários

  1. Olá Anabela,
    É impressionante a quantidade de erros que cometemos com os nossos tesouros sem termos a menor noção de que o estamos a fazer! Pensamos sempre que estamos a ajudar e afinal só prejudicamos.
    Sabes, quando o tesouro mais velho entrou para o 1º ciclo, queria tanto que ele ganhasse confiança nele próprio, que o prejudiquei. Estudava sempre com ele, até ao dia em que numa reunião, a professora nos pediu para não o fazer, pois nos testes, ela percebia perfeitamente quem eram os meninos que estudavam sozinhos e os que estudavam acompanhados, pois estes últimos, quando chegavam ao teste, sentiam falta da "moleta" e isso repercutia-se nas notas. A partir da altura em que ele passou a estudar sozinho e em que eu só estava com ele para tirar dúvidas, as notas dele passaram a ser muito, mas mesmo muito melhores.
    Adquiriu confiança nele próprio.
    Bjs,
    MJ
    PS: desculpa a extensão do comentário.

    ResponderEliminar
  2. Parece muito interessante o livro...juntar à minha lista de livros para ler :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…