Avançar para o conteúdo principal

O meu jardim-horta

Couve-coração
Ervilhas
Framboesa a crescer de dia para dia.
Espinafre
A laranjeira carregada e com um cheiro maravilhoso!

As cenouras, plantadas ontem.
Rúcula, semeada num vaso que já tinha outra planta.
O jasmim, que está carregado de flor, faz concorrência no cheiro, à laranjeira.
Ontem estive de volta do meu jardim-horta mais um bocadinho. A semear alface e a colocar os bolbos na terra, para ver se no Verão tenho um jardim mais florido. 

Há muito tempo que não actualizo o espaço que tanto gosto me dá a cuidar. Prometi a mim mesma que este ano fazia um plano de cultivo. Isso mesmo, ouviram bem, um plano de cultivo. O ano passado fartei-me de semear e o trabalho podia ter dado mais frutos se eu tivesse respeitado as necessidades das plantas. Por isso, nestas mini-férias de Carnaval andei a estudar a coisa, a ver quais as zonas do jardim que apanhavam muito sol, quais as que ficavam na sombra parte do dia e quais as que nunca apanhavam sol. Verifiquei ainda o que poderia semear em vasos (e assim também coloco mais ao sol, se necessário) e o que necessitava de ficar protegido do vento. Depois, com base no que costumo consumir, planeei onde ia cultivar e o quê. Antes de tudo, arejei bem a terra e enriqueci com nova, para que não faltassem nutrientes. Até agora já plantei couve-coração, ervilhas, espinafres (que o ano passado não deram o ar de sua graça e este ano já se vislumbram), beterraba, rúcula e cenoura (em vaso). Das aromáticas, semeei coentros, salsa (embora saiba que ainda não é a melhor altura para semear) e cebolinho. 

Ainda falta o alho francês, os pimentos amarelos, o agrião e a batata doce (em vaso) que só se planta mais para a frente. 

A juntar isto tudo, pensei melhor e optei por fazer duas substituições. Já que é para gastar água, então que tenha algum benefício disso. Trocámos uma trepadeira por um maracujá. Também é da família das trepadeiras (que era o que procurávamos) mas ao contrário da que lá estava, dá uma flor linda e ainda podemos comer o fruto. Maravilha! A outra aquisição foi uma lima, que trocámos por uma das palmeiras. E está a crescer lindamente.

A água é, sem dúvida, o maior segredo para tudo crescer. Regar diariamente, sem excessos, sem deixar o solo encharcado para compensar quando não se rega (pior coisa que se pode fazer) dá frutos. E eles estão bem à vista poucos dias depois de ter semeado. Fico mesmo muito contente. Ninguém diria que eu era daquelas pessoas que não sabia distinguir a salsa dos coentros (o meu pai brincava tanto comigo nisto que nem imaginam). Hoje fico muito orgulhosa com o que já aprendi e com os resultados que isso me traz.

E o vosso jardim-horta, como vai por aí?

Comentários

  1. Tão bonita, a florescer.... vê se bem que é Primavera! :)))

    ResponderEliminar
  2. olá, sou sua seguidora e já li o seu blog de uma ponta à outra.
    gosto muito do que você publica e tenho aprendido muito consigo.
    aproveito para lhe perguntar qual é a melhor altura para semear batata doce e se esta precisa de muito ou pouco sol. Também já tentei várias vezes semear espinafres e nuca fui bem sucedida. Pode dar algumas dicas para se ter sucesso com os espinafres?
    Obrigada
    angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ângela.

      Segundo as dicas que escrevi aqui no meu mini plano, o espinafre gosta de luz solar directa ou sombra parcial. Não tolera muito calor. O ano passado coloquei-o num local onde batia o sol o dia inteiro e sem o regar com frequência já se sabe qual foi o desfecho. Este ano escolhi melhor o local, recebe sol uma parte do dia mas está mais resguardado nas horas de maior calor. Tenho regado todos os dias e sem encharcar o solo. Já se nota porque começaram logo a crescer e as sementes são do mesmo pacote do ano passado. Vamos lá ver se vingam.

      Quanto às batatas, o meu pai disse para plantar só lá para Junho e estas gostam muito de calor e sol directo.

      Espero ter ajudado.

      Bjs

      Eliminar
  3. Olá tudo bem
    gostei muito de seu jardim horta
    também estou tentando fazer um aqui em minha
    casa o espaço ;e pequeno. mas também planto em vasos
    vamos ver se da certo.As minhas estão precisando de vitaminas
    mas quero que seja orgânico então estou pesquisando, Abraços fraternos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Zê.

      Fico a torcer para que tudo cresça bem. Para vitaminas poderá tentar fazer a compostagem caseira ou misturar terra nova.

      Depois, se puder, diga de que forma fez ou que resultados deram as suas pesquisas. Também aprendo deste lado.

      Bjs e obrigada!

      Eliminar
  4. Olá Anabela!

    Embora muitas vezes fique caladinha, sou seguidora do seu blogue assídua e gosto muito de o ler.
    Identifico-me em muitos dos posts que faz e tenho aprendido imenso com outros. Por isso não posso deixar de agradecer a partilha que aqui faz.
    Adorei saber que também tem uma horta e que se está a dedicar mais a ela. Aqui em casa também temos e dedicam-nos muito a ela, aliás cada vez mais. Preocupo-me e esforço-me para ter uma alimentação saudavel, e com legumes e fruta no quintal isso torna-se muito mais fácil. Afinal somos aquilo que comemos!

    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Catarina.

      Obrigada pelo comentário. Aprendemos muito uns com outros. Embora partilhe aqui muito coisa, também tenho aprendido imenso com todos aqueles que tiram um bocadinho do seu tempo para comentarem no meu cantinho. Tenho aprendido tanto com as experiências de quem está desse lado que nem imagina.

      E fico extremamente feliz por saber que há cada vez mais e mais pessoas a interessarem-se pelo cultivo, pela escolha de uma vida mais saudável em vários aspectos. Afinal vivemos em sociedade e quando as pessoas fazem bem a si próprias também me fazem bem a mim, mesmo que indirectamente.

      Bjs e obrigada pelas palavras.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…