Avançar para o conteúdo principal

Receita de pão caseiro integral [e tão bom!]

Receita_de_pão_caseiro_integral
Na sexta-feira descobri um programa maravilhoso sobre fazer pão. Fiquei de olhos arregalados e tinha cá um feeling que o padeiro de serviço, Paul Hollywood, ia começar por explicar como se faz um pão básico. Não me enganei.

Fiquei espantada por perceber que os erros que ia cometendo ao longo do tempo nada tinham a ver com o fermento usado, com o forno ou com a água. O problema era mesmo o tempo que demorava a amassar. Era pouco, muito pouco. Torna-se mais fácil entender onde erramos quando sabemos a razão de certas fases na confecção. Usei então as medidas que ele disse, adaptando ao que tinha em casa. Embora tivesse dito algumas asneiras pelo caminho, nomeadamente quando tentei usar azeite na bancada em vez de farinha, no momento de amassar (pegava na mesma porque acho que a massa precisava de mais farinha), no final o resultado até foi bastante bom. Um pão com crosta, fofinho (e cozido!!!) por dentro, sem saber muito a fermento. Uma maravilha, o que para mim é excelente. 
Receita_de_pão_caseiro_integral
A manteiga não é caseira porque não tinha natas. Juntei apenas um pouco de olho em pó e cebolinho picado a um bocadinho de manteiga comercial.
Deixo-vos a receita original, embora eu tenha usado mais farinha porque por mais que amassasse, não havia maneira de a massa descolar das minhas mãos.

Pão integral (receita adaptada do programa "Os segredos do pão")

- 300g de farinha de trigo T65 (usei da 55 porque não tinha desta)
- 200g de farinha de trigo integral
- 320ml de água fria
- 7g de levedura seca (usei 15g de fermento fresco)
- 10g de sal
- 2 colheres de sopa de azeite (no programa ele não diz a quantidade)

Coloquem a farinha numa taça, juntem dum lado o sal e do outro o fermento (nesta fase não se podem tocar). Juntem o azeite e parte da água. Comecem por mexer com os dedos e depois com as mãos. Vão adicionando o resto da água e amassando mais um pouco ainda dentro da taça. Depois coloquem a mesma em cima de uma bancada com azeite ou farinha e vão amassando durante, pelo menos, 10 minutos. Findo este tempo, deitem um pouco de azeite na mesma taça que usaram e coloquem lá a massa. Tapem com película e deixem levedar por duas horas.
Quando terminar esse tempo, tornem a amassar um pouco para retirar parte do ar que está na massa. Enrolem a massa em formato de pão comprido (como na foto) e coloquem num tabuleiro de ir ao forno. Tapem com película ou coloquem no forno desligado. Deixem levedar novamente por mais duas horas, a temperatura ambiente. Depois vai ao forno pré-aquecido a 220ºC durante 25 minutos. Para formar crosta, coloquei um tabuleiro com água na base do forno. Ao fim deste tempo, retirei e deixei arrefecer em cima de uma grelha.

Notas importantes (ou o que aprendi):

- usar água fria é melhor porque permite que a levedura se desenvolva lentamente dando mais sabor ao pão.

- Usar azeite na bancada em vez de farinha permite que a massa tenha a quantidade da receita e não em excesso, o que a torna mais densa. Foi nesta fase que disse umas quantas asneiras porque aqui deste lado a massa também absorve o azeite e volta a colar na bancada e nas mãos e sei lá mais o quê. Acabei por usar farinha na mesma. O pão ficou bom.

- O tempo que amassamos é tão importante. É isso que desenvolve o glúten que torna a massa elástica e forte. Permite assim a formação de bolhas de ar e o pão fica mais fofinho. Comprovei isso mesmo.

Espero ter ajudado quem, como eu, tem dificuldade em fazer pão caseiro.
Próxima tentativa, fazer bolinhas de pão.

Comentários

  1. Ai que delicia, que agora eu e' que fiquei com agua na boca :) Beijinho x

    ResponderEliminar
  2. Que bom aspecto!!!
    E essa manteiguinha! hummm hummm

    ResponderEliminar
  3. Nunca fiz pão ,mas esse parece estar uma delicia .
    Hei de experimentar essa receita .
    bjs
    Lulu

    ResponderEliminar
  4. Que belo pão! Tenho todos os ingredientes em casa, acho que vou experimentar a tua sugestão, quando se acabar o pão que comprei ontem.

    ResponderEliminar
  5. Adoro fazer pão em casa e o cheiro que fica em toda a casa é mágico!
    O pão está mesmo com um aspecto delicioso.
    Parabéns!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. só houve uma vez que experimentei fazer uns pães de chouriço e a massa ficou boa, embora lhe faltasse sal. Há muito que ando com a ideia de fazer um pão caseiro mas ainda não cheguei lá. acho que este é para experimentar um dia destes.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…