Avançar para o conteúdo principal

Fiasco dum lado, produtividade do outro


Quando fiz este post, estava longe de imaginar o fiasco que iria ser o imenso cultivo de morangueiros deste ano. Em anos anteriores tinha corrido muito bem e apenas tinha algumas floreiras. Este ano, com tanto morangueiro plantado, estava com esperança de ter tantos morangos que nem sabia o que fazer com eles (santa ingenuidade!). Infelizmente a coisa não correu nada bem. Primeiro porque viemos a descobrir que afinal grande parte deles não eram nada de jeito e, segundo, porque aqui a pseudo-jardineira achou que eles só precisavam de água dia sim, dia não. Não preciso contar o resto.

Mas nem tudo são más notícias. O meu pai plantou duas qualidades de morangueiros e uma delas está a ser bastante produtiva. As fotos mostram apenas uma colheita e como são tantos, acabei por congelar estes. 


Partilho aqui também uma dica dada pela prima C. porque eu não sabia e pode haver mais alguém que também não saiba. Se lavarem o morangos com o pé e os retirarem depois, estes não ficam com tanta água e, consequentemente, não ganham tanto gelo depois de congelados. Já comprovei isso. E quem diz congelação, diz outras utilizações.

Dia feliz!
assinatura

Comentários

  1. Eu também só rego os meus dia sim, dia não, e a verdade é que não tive praticamente morangos nenhuns :( Mas pronto, tenho poucos pés em vasinhos.
    Tem de se regar todos os dias, é isso?
    Obrigada pela partilha do truque para congelção.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando estiverem produzindo é bom regar pouco, mas todos os dias. Também precisam de adubo, assim produzem mais e os frutos são mais saborosos. Boa sorte!

      Eliminar
    2. Tal como diz a Marina, já percebi que o segredo é esse mesmo, regar menos mas diariamente. O meu pai chegava a regar mesmo naqueles dias de alguns chuviscos. O resultado está à vista.

      Beijocas às duas

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…