Avançar para o conteúdo principal

Das canções e histórias infantis tradicionais

Tenho algumas coisas de parte para entregar na Santa Casa da Misericórdia. Entre elas estão alguns livros/puzzles com histórias tradicionais como "A Branca de Neve e os sete anões". O Tiago viu e quis folhear o livro. Pediu-me para lhe contar a história. Fiz a vontade. Parei a meio porque as histórias são de uma violência tal (madrasta que quer matar a enteada mais a bruxa que quer envenenar...) que me pus a pensar como é que é possível serem infantis e mais, serem contadas há tantos anos!!!

Por isso é que vos pedi ajuda e aconselhamento (adorei tudo o que me sugeriram, difícil vai ser escolher) para outras opções de leitura.

E quem diz histórias, diz canções. Basta tomarem atenção ao título de uma, "Atirei o pau ao gato". Gosto muito mais da versão brasileira. Aliás, as canções infantis brasileiras são muito mais suaves e divertidas, pelo menos foi a impressão com que fiquei quando vi a "Galinha Pintadinha", pelo primeira vez. A versão da canção referida acima é esta. Muito melhor, sem dúvida.


assinatura

Comentários

  1. Tenho a dizer-te enquanto psicóloga que a "violência" das histórias é importante. É essencial para o desenvolvimento das crianças, assim como o "não" e assim como sentirem a frustração e outras coisas. Protegê-los demasiado irá proporcionar o não estarem preparados para o futuro, não saberem lidar com as situações e as contrariedades da vida.
    As crianças não interpretam as histórias como elas são ditas/cantadas. Não é por cantar "atirei o pau ao gato" que o seu filho vai achar que isso é correcto, se perante ele tratar sempre bem os animais é isso que ele vai absorver. São os exemplos, das pessoas importantes para a criança que moldam verdadeiramente os seus comportamentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais, obrigada pelo seu comentário.

      Compreendo perfeitamente o que quer dizer e tenho noção disso. Aliás, uma das coisas que ando a tentar trabalhar com o meu filho é a sua capacidade de lidar com a frustração nas mais diversas situações do dia-a-dia. Noto uma melhoria muito grande. Ele ficava irritado à mínima coisa.

      Não o tenho dentro de uma redoma de vidro. Por exemplo, quando vamos a parques infantis ele tem contacto com muitas crianças e também com diversas situações, boas e más, em que nós, pais só intervimos se achamos que é mesmo necessário. Normalmente é ele que responde ou que se orienta por si próprio. Isto faz-lhe mesmo muita falta, considerando que ainda está em casa connosco.

      Quanto à violência, apesar de ela ser necessária, se calhar há muita discordância na forma como ela tem de ser apresentada às crianças. Hoje em dia já são tão bombardeadas com esse tipo de situações (TV, por exemplo) que, se calhar, seria melhor repensar a forma e a quantidade de violência a que as expomos. Também não gosto muito das histórias tradicionais porque são demasiado cor-de-rosa e a vida real não é assim. Não é à toa que a moral das histórias de hoje em dia é muito mais realista e mais de acordo com as vivências infantis.

      Cumprimentos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…