Avançar para o conteúdo principal

Sobre a linguagem

O meu menino andava um bocadinho preguiçoso para falar mas agora já diz umas quantas palavras. Fica aqui o registo do que diz aos 23 meses:

Ainda não sabe que, se metermos uma moeda, o carro mexe!
- mamã
- papá
- avô
- avó
- carro ou popó (diz as duas)
- tchiu (adivinham o que é?)
- galo
- cão
- água
- mon (mais uma adivinha)
- roda
- bola
- pão
- roz (arroz)
- carne
- ténis
- gu (adivinhem...)
- xixi
- cocó
- tiz (o que será?)
- ga (gato)
- olá
- sim (e fica tãooo fofinho a dizer)

De momento é o que me lembro. Faz ainda imensos sons de animais, o barulho do avião (embora não diga a palavra), diz tssss para dizer triciclo  e imita o ressonar para dizer que quer dormir. Curiosamente não diz a palavra não (uma das primeiras que as crianças aprendem).

Noto que me tenta imitar mais vezes, eu digo a palavra e ele tenta imitar, coisa que não acontecia antes. Também sei que não fala mais porque não sente necessidade, é entendido (nossa culpa) e por isso...

E está assim o meu menino, acredito que ainda vá ser um tagarelas, vamos lá ver...

Desejo um dia expressivo a todos
assinatura

Comentários

  1. A minha então é uma tagarela....nisso a escolinha fez muito bem (é a lei do desenrasca)!
    Ela já consegue mesmo manter diálogo.

    Quanto ao: "Ainda não sabe que, se metermos uma moeda, o carro mexe!" - mantém-no na ignorância por mais algum tempo, para vosso bem! :P

    ResponderEliminar
  2. Olá! Gostaria de fazer um breve comentário apenas à última frase, como futura Terapeuta da Fala "Também sei que não fala mais porque não sente necessidade, é entendido (nossa culpa) e por isso..." :) ..

    É natural que os pais consigam interpretar tudo o que os seus filhos pedem mesmo só ele apontando ou algo mais... No entanto, aos poucos tentem fazer-se que não estão a entender para tentar que ele produza mais palavras relativamente àquilo que ele quer. E se ele não disser, e continuar a apontar passado algumas tentativas, dão-lhe aquilo que ele pretende, tentando sempre acompanhar do nome respetivo daquilo que ele pretende ter.

    Um beijinho,

    Ana Raquel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana.

      Antes de mais quero agradecer ter tido um tempinho para fazer este comentário, que eu muito agradeço :)

      Depois quero dizer também que vamos fazendo, cada vez mais, aquilo que aconselha. O "problema" que eu sentia nele era que nunca tentava repetir o que dizíamos, não sei se por vergonha (que nesta altura ainda não têm muita) ou por não conseguir mesmo articular os sons (acredito a questão era esta mesmo).

      Como disse no último post, ele está agora na fase de tentar repetir tudo e mais alguma coisa e em menos de três dias começou a dizer (á maneira dele) primo, madrinha, azul, amarelo, Ti-a-go (assim, tipo soletrado), pé, "xau-xau" (adeus), batata, papão (personagem de uma história do Gombby), giz, Slvador, Gonçalo e Diogo (miúdos da explicação) e mais umas quantas palavras que lhe peço para repetir e ele fá-lo até muito bem.

      Acabo por ficar mais tranquila acima de tudo porque sei que nos entende perfeitamente, sejam pedidos, advertências, ralhetes, etc. E isso, sei que é um bom sinal.

      Bjs e fique à vontade para dar mais dicas, que deste lado agradecemos sempre.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…