Avançar para o conteúdo principal

Sucesso escolar* - Aumentar a motivação

Começo por dizer que não tenho nenhuma formação em psicologia infantil ou área semelhante (sou formada em gestão), por isso as dicas de sucesso escolar que vão ler são fruto da experiência de vinte anos a dar explicações e da aplicação prática (com respectivos resultados) daquilo que vou lendo em livros. Também não sou nenhuma mãe perfeita mas tento praticar a maioria das coisas que aqui falo. Não sei o que o futuro me reserva mas espero poder fazer uma grande diferença na vida do meu filho (pela positiva, claro!).

Parte I - Aumentar a motivação

Depois destes anos todos a trabalhar nesta área, posso dizer que considero a motivação a arma mais poderosa para o sucesso escolar das crianças. Seguramente, mais de 50% das crianças que me aparecem para as explicações estão completamente desmotivadas. E a desmotivação gera bola de neve, se não se interessam pelo que aprendem na escola inevitavelmente tornam-se mais distraídas e daí ao insucesso escolar é um passo.

Sendo assim, seguem algumas dicas para que possam trabalhar esta área aí em casa.

1) Pratique REFORÇO POSITIVO (poderá ler mais sobre isto aqui)

Coloquei em maiúsculas não porque esteja a gritar mas porque é um ponto-chave não só para a motivação mas também para a auto-estima e autonomia. Sempre que o seu filho fizer algo bem, felicite-o. Concentre-se nas coisas boas (exercício bem feito, uma atitude, prática de boas maneiras, etc...) e não nas más. O seu filho rapidamente perceberá que é nessas situações que terá mais a sua atenção e, consequentemente, tentará fazer por isso.

2) Ajude-o a ter objectivos

Quando me refiro a este ponto não é apenas na área escolar mas na vida em geral. Isto é importante porque quando temos objectivos melhoramos a nossa auto-estima e tornamo-nos mais produtivos. Com as crianças não é diferente. Além disso percebem que, se trabalharem, conseguem alcançar o que pretendem. E são com pequeninas coisas que, muitas vezes, se fazem grandes desenvolvimentos.

Estas são algumas ideias simples que podem ajudar e que, no fundo, apenas dizem que..."Nada se obtém sem esforço; tudo se pode conseguir com ele" de Ralph Emerson:

        - Completar um puzzle
        - Estar x de tempo a dar toques numa bola
        - Fazer uma caça ao tesouro
        - Algum tipo de gincana
        - Jogos de mímica
        - Etc...



Deixo dois links engraçadíssimos para se lembrarem dos jogos maravilhosos de infância (o primeiro site é brasileiro e, por isso, o nome das brincadeiras é diferente, no entanto vão reconhecer a maioria delas). Falta lá a sirumba. Eu adorava jogar e era maravilhoso!!!

Link 1
Link 2

3)  Passe da teoria à prática

Mostrar ao seu filho a praticabilidade daquilo que se aprende na teoria é meio caminho andado para aguçar o seu interesse pelas matérias e melhorar o rendimento escolar. Por exemplo, se ele está a falar dos animais, visite o zoo ou uma quinta pedagógica e fale sobre isso, se é sobre os rios faça um passeio de barco, se é sobre os astros visite o planetário, se fala sobre experiências visite um centro de ciência, etc...

4) Não utilize dinheiro ou prendas como recompensa ou fonte de motivação

Podem resultar mas apenas a curto-prazo. E depois não lhe vai dar prendas ou dinheiro por tudo o que ele alcançar, certo? Acaba por prejudicar a motivação em vez de ajudar. Opte antes por um passeio a pé, uma actividade fora da rotina habitual, uma experiência/brincadeira diferentes, qualquer coisa que não implique a obrigatoriedade de gastar dinheiro. A atenção deve estar virada para actividades em família, pois não só está a criar laços mais fortes com o seu filho mas também lhe está a ensinar o que realmente é importante na vida.

5) Mostre interesse no dia-a-dia do seu filho

Penso que isto é prática comum na maioria das famílias, certo? Perguntar como correu a escola, o que fizeram naquele dia, se aconteceu alguma coisa de especial, etc., ajuda não só a melhorar a linguagem e a forma como se expressam mas também a auto-estima. Qual é a criança que não gosta de ter a atenção dos pais?

E pronto, fica aqui a primeira parte desta rubrica. Quem quiser contribuir com mais alguma coisa, deixe nos comentários que depois farei adenda ao post com respectivo link do autor. Gosto muito da partilha de experiências pois só assim nos desenvolvemos.

Desejo uma tarde motivadora a todos.

assinatura

Comentários

  1. Olá, gosto dos conselhos e já os conheço na maioria. Infelizmente com o meu filho já nada resulta.Completamente desmotivado e por muito que eu tente nada o motiva. Por isso aquela parte do reforço positivo acaba por sair falhada porque a vontade é mesmo falar de tudo o que está mal.
    Não consigo entender esta atitude dele. Só quer brincadeira e mais nada. obg

    ResponderEliminar
  2. Eu ainda não tenho filhos, mas concordo com todas as sugestões.
    São óptimas!

    ResponderEliminar
  3. Na parte da motivação tenho a acrescentar além do testamento de á pouco, é que por exemplo o professor tem enviado todas as semanas uns sudokos para irem fazendo ao longo da semana ..os primeiros bem..mas depois foi desistir..ou pegava eu no lapiz e na mão dele ou nada...o que acontece com o meu pequeno é que se aborrece ... a semna passada chegou um dia a dizer que tinha de investigar sobre um tema na net..passou toda a tarde ai..e quando o pai chegou estiveram os dois mais um pouco..(pré-história) no dia seguinte tive reunião com o professor pelos recados que me tinha mandado de não fazer deveres..e falei de ele ter estado na net a investigar..pois..o tema dele não era o que tinha estado a ver..o seu já o tinha feito na aula..e quando perguntei porque tinha estado a ver a pre-história diz-me que era para ajudar os amigos...
    uma mae fica orgulhosa não???? o problema é que não tinha feito os deveres desse dia..e uma vez que o prof não tem actualizado o blog e o meu pequeno não escreve na agenda os deveres..ando eu feita barata tonta sem saber que faço ao miudo..se lhe dou uma medalha por ter boas notas sem estudar..ou zango-me porque não quer adquiir habitos de estudo , que lhe farão falta quando o que houver para estudar seja mais pesado..esqueci dizer que tem 10 anos e está no 4º ano
    o professor preocupa-se porque um tem de adquirir habitos de estudo de pequeno..eu também..mas mesmo eu sentada ao lado dele a fazer os deveres (quando sei os que traz) ele consegue ver as moscas que passam..e podemos ficar 2h(sim leu bem o reord são 3h porque eu cansei-me)para uma simples ficha de matemática..porque eu não posso agarrar-lhe na mão e escrever eu...custa-me que pensem que ele é preguiçoso..porque eu pedi ao professor que não envia-se deveres de casa a ele e a resposta é que para fazer a ele tinha de fazer aos outros e que as outras mães não estavam de acordo...mas cada miudo tem um modo de actuar e o meu ao fim de 8h na escola deve apagar o chip...é o unico que me ocorre...desculpe lá o desabafo..mas como deve imaginar é uma luta todos os dias..o que me vale é que as irmãs não me dão guerra nesse tema...se não eu já me tinha internado..e sim já pensei se ´´e uma chamada de atenção para eu estar com ele ali..mas nesse aspecto eu tenho muito cuidado com o tempo que passo com cada um ( e ele por ter asma até é o que tem mais mimos em casa)...
    e agora termino que já deve ter desistido de ler no segundo paragrafo..ihihih obrigado pela atenção se chegou até aqui...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sónia.

      Antes de mais quero dizer que o comentário não foi logo publicado porque estava no SPAM, só hoje é que vi :((( (não sei porquê)

      Obrigada, mesmo muito obrigada pelo testemunho, gostei muito de ler :). São situações complicadas e varia muito de miúdo para miúdo. Essa luta toda é habitual em muitas casas e uma das principais razões para se procurar um explicador. Não estou a fazer publicidade de qualquer espécie mas posso dizer-lhe que uma das principais razões para a procura de um explicador nem sempre são dificuldades de aprendizagem. Uma muito comum é essa, o facto de os miúdos não fazerem nada com os pais. Já o facto de estarem a trabalhar e aprender formas de estudar com pessoas com as quais não têm tanta confiança, o caso muda de figura. São os próprios pais a dizerem-me que em casa está tudo mais calmo e que procuraram um explicador porque com eles os filhos abusam e não fazem nada, e propósito!

      Nas próximas secções da rubrica falarei mais deste tipo de coisas, talvez encontre alguma dica preciosa ;)

      Bjs e força nessa luta

      Eliminar
  4. Apesar da área de formação ser gestão, digo desde já que tem aqui dicas preciosas, e conselhos válidos. Alguns já me tinham sido transmitidos pela educadora do meu filho do meio, porque houve uma altura em que não conseguia dar conta dele... Fui a uma consulta de desenvolvimento para ver se era hiperativo, relatório de psicólogos, no final... era apenas MUITO AGITADO! Tenho 3 filhos e todos são diferentes, apesar da educação que lhes damos ser identica.
    Obrigada uma vez mais pelas excelentes dicas!
    Beijinhos
    Susana

    ResponderEliminar
  5. Olá Anabela,
    Não tinha comentado antes por preguicite... Desculpa.
    Concordo com tudo o que escreveste, se tivesse filhos seria este tipo de incentivos que tentaria implementar.
    Mas como não tenho não posso falar se resultou ou não.
    Obrigada na mesma pela partilha.
    Bjs,
    Teresa C.

    ResponderEliminar
  6. Olá Anabela,

    Como já referiu uma leitora, deixaste dicas preciosas. Eu acredito que resultem, porque as pratiquei e pratico ainda, claro, embora tenha de adaptar os "métodos" às idades.
    Os meus já são adolescentes mas o reforço positivo, o mostrar interesse, dar o exemplo e o que chamas de passar da teoria à prática continuam a resultar.

    Continuação de boas ideias "para dar que pensar"! Reunir tanta informação e expô-la de forma clara implica com certeza muito trabalho, parabéns pela iniciativa.

    ResponderEliminar
  7. Estas práticas são óptimas para ganharem condições de interiorizarem desde pequenos bons métodos de estudo e consequentemente mais liberdade e facilidade para resolverem tudo desde os estudos até um dia mais tarde nas situações da vida. Sei disto por experiência própria, porque tenho sido eu que venho orientando os meus filhos desde sempre. Agora já quase não precisam de mim porque já são adolescentes. Mas de vez em quando consultam-me para uma opinião, uma pequena dificuldade. Mas cada um tem hoje em dia o seu método próprio e tem sido bom. O engraçado disto tudo é o facto de eu ter ensinado da mesma forma e o resultado ser diferente. E também o facto disto ter começado com pequenas responsabilidades que lhes dava desde a infância. Gostei das tuas dicas, acho que tenho sempre o que aprender.

    ResponderEliminar
  8. Estas práticas são óptimas para ganharem condições de interiorizarem desde pequenos bons métodos de estudo e consequentemente mais liberdade e facilidade para resolverem tudo desde os estudos até um dia mais tarde nas situações da vida. Sei disto por experiência própria, porque tenho sido eu que venho orientando os meus filhos desde sempre. Agora já quase não precisam de mim porque já são adolescentes. Mas de vez em quando consultam-me para uma opinião, uma pequena dificuldade. Mas cada um tem hoje em dia o seu método próprio e tem sido bom. O engraçado disto tudo é o facto de eu ter ensinado da mesma forma e o resultado ser diferente. E também o facto disto ter começado com pequenas responsabilidades que lhes dava desde a infância. Gostei das tuas dicas, acho que tenho sempre o que aprender.

    ResponderEliminar
  9. É de pequenino que se torce o pepino. Tenho dois adolescentes aos quais comecei a ensinar-lhes algumas pequenas responsabilidades na infância e métodos de trabalho ao chegar da escola. Foi muito cansativo, mas como quem corre por gosto não cansa... Valeu a pena hoje eles tem cada qual a sua maneira de se orientarem. Gosto do resultado do meu esforço e da atitude deles em aceitarem o que lhes ia "ensinando". Adorei as tuas dicas. Acho que até morrer tenho muito que aprender.

    ResponderEliminar
  10. Obrigado.
    Anseio pelas suas palavras :)
    Sim o meu pequeno abusa de mim e da irmã mais velha, que é quem mais o ajuda devido a que a lingua em que tem escola é o Euskera e eu não entendo nada, necessito sempre que ela traduza primeiro para eu puder ajudar... Sinceramente gostaria que fosse esta a solução, do que ele ser preguiçoso :( Esta semana mesmo trouxe uma negativa a matemática..tudo porque demorou demasiado a fazer as contas e não acabou o exame..e nas que fez apresentou os resultados sem escrever ...já em casa tem esse habito..eu sempre lhe peço que escreva a conta, mas ele diz que gosta de fazer as contas de cabeça..muitas vezes acerta..o problema é que depois se troca todo, por não escrever :(
    Parece mal eu desejar que o meu filho fosse menos "inteligente" e mais trabalhador???? O Pai chateado diz-lhe muitas vezes que prefere que ele seja burro que calão...o que também não me parece apropriado de dizer e muitas vezes zangamos-nos entre nós devido a isso..mas é que nos faz perder a calma por completo....

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…