Avançar para o conteúdo principal

Manobras de distração


Olá a todos.

Umas das coisas que incentivo cá em casa é a exploração e para o Tiaguinho explorar verdadeiramente não posso estar 24 sobre 24h com os olhos em cima dele (apesar de muitas vezes ser necessário porque ele lembra-se sempre de fazer disparates)

É importante explorarem porque só assim desenvolvem a criatividade, aprendem a brincar sozinhos e se tornam mais autónomos. Não estou aqui a dizer que o deixo sozinho durante muito tempo, o que quero dizer é que faço as minhas coisas normalmente sem estar em cima dele constantemente. Por exemplo, se estou a cozinhar e ele está no jardim, vou olhando para o que está a fazer, se está a brincar algumas destas coisas...

 

...deixo-o à vontade, mas sempre a ver de minuto a minuto. 

É claro que às vezes lá faz as suas traquinices, arranca flores, abre a água, quer subir para onde não deve, e nessas alturas convém estar em cima para não fazer asneira. De qualquer forma consigo vê-lo da cozinha e isso torna tudo mais fácil. (Por vezes também me tira do sério quando quer fazer a mesma porcaria vezes sem conta)
Mas o que quero mostrar-vos é aquilo que faço na cozinha como manobra de distracção. Não sou daquelas mães que tiram, guardam e trancam tudo, deixando apenas os brinquedos disponíveis. Penso que também é necessário compreenderem quais são os limites e, acima de tudo, poderem explorar.

Por isso, na cozinha, não tenho nada trancado. É lá que passo a maior parte do tempo e, consequentemente, ele também. Tem de haver algo que o distraia, senão passa o tempo todo agarrado às minhas pernas. Tenho, por isso, duas gavetas e um armário com utensílios e brinquedos onde o Tiago pode mexer. As gavetas estão assim, com objectos variados e nem sempre brinquedos (consigo ter duas gavetas só para ele graças ao “destralhanço” e organização).


(a da esquerda está mais composta com outros brinquedos mas estes tubos de cartão são uma excelente distração... para comer, por exemplo!) 
 
(Tudo desarrumado porque ele farta-se de tirar as coisas lá de dentro e depois tem de arrumar... à maneira dele)

E o armário está com formas e tapetes de silicone, tacinhas, e outras coisas em que ele pode mexer sem se magoar. Tem sido fantástico porque ainda hoje se distrai com isso. É claro que ele, volta e meia, faz das suas mas o facto de estar sempre ao pé de mim ajuda a que eu consiga evitar a maior parte dessas asneiras.

No resto da casa não temos grandes bugigangas (isso ajuda, claro) por isso aplico o mesmo. É claro que, à conta disto, já me partiu algumas coisas, poucas felizmente. Por vezes tenho que me chatear para impor os tais limites que falei acima. Mas o saldo tem sido muito positivo porque vejo que é uma criança feliz e cheia de vida e criança que nunca se magoa, não dá umas quedas de vez em quando (sem grandes traumas) e não faz as suas asneiras, não acredito que seja uma criança verdadeiramente feliz.

Desejo um dia animado a todos.

Comentários

  1. Também não costumo andar muito em cima da minha. Aliás, é mais ao contrário, ela é que ainda sempre em cima de nós.
    Tem alguma dificuldade em brincar sozinha :(
    Quer sempre um de nós ao pé!

    ResponderEliminar
  2. O meu rapazote nunca teve grande autorização de mexer nas gavetas da cozinha... hehe!!
    Aqui a mãe nunca deixou... (não gosto de passar metade do dia de rabo para o ar a apanhar coisas!) :P
    Ultimamente lá o vou deixando abrir mas para tirar algo que eu ou ele precise e não para desarrumar. Esporadicamente deixo-o tirar 1 e só uma coisa para ele explorar.... mas despejar gavetas e armarios inteiros nunca teve autorização!! :P

    ResponderEliminar
  3. Que ideia gira a das gavetas com coisitas para ele mexer. As crianças desde que em segurança, devem mesmo ser incentivadas a explorar. É assim que aprendem.

    ResponderEliminar
  4. É bom perceberem que também podem imitar os grandes e mexerem em algumas coisas que estão ao seu alcance. Afinal de contas nós também gostamos de mexer caso contrário não concretizaríamos as nossas ideias!! Liberdade à pequenada....com cuidado, claro!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo :) Aliás não guardei nada da decoração da casa quando ele nasceu, só comprei aquelas borrachas que protegem de entalarem os dedos nas portas. Depois ensinei-o a não mexer ou como mexer em determinados locais. Acho importante não transformar a casa numa redoma mas ensina-los a não se magoarem e não fazerem disparates não só na nossa casa como nas casas dos outros.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…