Avançar para o conteúdo principal

Pão-de-leite

Olá a todos.


Posso não conseguir fazer bolinhas de pão em condições mas que o pão-de-leite me sai que é uma maravilha, lá isso sai. Digam lá se não parecem apetitosos...


A receita tirei do blog da Ju (Desastres Culinários) que faz coisas maravilhosas.

Ingredientes:
 
200 ml de leite morno
50 ml de água morna
2 colheres de chá de fermento seco ou 20 g de fermento de padeiro fresco
100 g de açúcar
3 colheres de sopa de leite em pó
2 colheres de sopa de farinha custard
2 colheres de sopa de margarina
500 g de farinha T65

1. Coloque os ingredientes na cuba, da máquina de fazer pão, pela ordem indicada.
2. Seleccione o programa de amassar e levedar (de 1h30m).
(Manualmente: numa tigela grande coloque os líquidos mornos e dissolva o fermento. Junte de seguida todos os restantes ingredientes e amasse bem durante uns 15 minutos formando uma bola homogénea. Deixe levedar 1h30m tapado, com um pano, em lugar aquecido).

3. Findo o tempo, retire a massa da cuba e pese a massa. Divida o peso por 10 e separe bolinhas de massa com o peso respectivo.
4. Tender bolas fechando-as em baixo com os dedos e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal.
5. Pincele as bolinhas com água ou gema ou leite e salpique com açúcar (opcional).
6. Cobra com papel vegetal e um pano e deixar levedar mais 30 minutos.
7. Leve ao forno a 200ºC durante 20 minutos, sensivelmente, ou até ficarem douradas por cima.

Obrigada Ju por partilhares receitas tão boas!

Desejo um dia fofinho a todos.

Comentários

  1. Hummmmmm....já vou fazer logo!Nem de proposito andava mesmo à procura desta receita:) Agora que tenho um forno novo, ninguém me pára!

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. E realmente estão com um aspeto fabuloso!!!

    ResponderEliminar
  3. com fiambre ou queijo ou mesmo só com manteiga que bem que ia, beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Ai, que maravilha! O meu estômago até roncou, agora. Vou ter de fazer... só espero que me saiam tão bem como a ti! Será que dá para congelar?

    ResponderEliminar
  5. Cor de Chá, sim, eu faço uma grande quantidade (duas fornadas) e congelo. Ficam bons na mesma, só se esfarelam um bocadinho mais mas nada de especial.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Ai que bom aspecto... manda aí um para o pequeno-almoço sff :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Hummm deu até água na boca.
    Mas, o q significa farinha custard e farinha T65.Vc sabe se consigo encontrar no Brasil?
    Aproveito para te pedir uma opinião sobre a panificadora caseira.
    Compensa?É fácil de usar?Quero adquirir ,mas tenho dúvidas.Se puder tire minhas dúvidas.Bjs!!!
    universofeminino-edna.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. ai até cheira aqui!!
    humm coisa boa!

    ResponderEliminar
  9. Ia mesmo perguntar se se aguentam alguns dias sem congelar?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Aprendereorganizar (ou melhor, Catarina) :)

    Eu deixo alguns para o maridão comer à noite. Penso que aguentam dois, três dias, como são mais naturais estragam-se mais depressa.

    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…

Livros "A Arte de Organizar a sua Vida" e "Adeus Coisas"

O primeiro livro "A Arte de Organizar a sua Vida", da autora de Hideko Yamashita, explica o método DAN-SHA-RI. Este método não é mais do que a união de três expressões japonesas que resumem os pontos mais importantes na arte de organizar a vida. São elas:

1. DAN, limitar a entrada do que não merece estar na nossa vida

2. SHA, eliminar tudo aquilo que não precisamos

3. RI, vivência tranquila, desapegada de coisas, com foco no “ser” e não no “ter”

O segundo livro "Adeus Coisas", do autor Fumio Sasaki relata a experiência pessoal de como passou de uma vida cheia de stress e rodeado de objectos, para um dia-a-dia simples mas mais feliz.



A minha opinião sobre os livros é que ambos são bons, valem bem a pena a compra mas se tivesse que escolher um, seria o "Adeus Coisas". Passo a explicar.

O que encontrei de diferente neste livro é que mais do que despejar teoria de como devemos livrar-nos de tralha e os benefícios disso (quando já se leu alguma coisa sobre mi…