Avançar para o conteúdo principal

Brinquedos diferentes

Olá a todos.

Como já devem ter percebido sou uma leitora assídua do blog Ticolarico. Um dos posts que a Pintas fez recentemente foi sobre a pedagogia Waldorf. O nome dizia-me qualquer coisa, talvez já tivesse ouvido falar qualquer coisa na televisão. Então lá fui pesquisando um pouco mais e fiquei muito interessada em saber mais e mais. Poderão fazer download de dois ficheiros (em baixo) que falam um pouco sobre isso. 

Mas o que quero dizer está relacionado com o post anterior sobre o quizz, em que questionei acerca dos brinquedos que o Tiago mais gosta. Penso que todos perceberam o que quis transmitir, que as crianças gostam de coisas simples, sem grandes apetrechos para que possam desenvolver a criatividade e imaginação. Por isso dou ao Tiago coisas do dia-a-dia. Já agora as respostas certas são: 1- Cesto 2 - Boneco de neve 3 - caixas empilháveis 4 - Livro de sons de animais.

Mesmo sem conhecer já praticava um pouco a pedagogia. Digo um pouco porque nem sempre utilizo materiais naturais. Uma coisa que fiz há já algum tempo foi colocar umas massas dentro de um copo de plástico para servir de roca. Muito simples, barato e o Tiago gosta. Não há melhor! Aqui está ela:

 Depois vou-lhe dando outras coisas que fazem parte da cozinha (devo querer incentivá-lo a gostar de cozinhar para não ser como o papá) e ele já se vai distraindo. É claro que ele tem outros brinquedos, mas não lhes liga muito, principalmente se forem de plástico, muito coloridos e cheios de botões. É capaz de pagar numa colher ou num livro dele do que noutros mais "complicados". 

Geralmente a mesa da cadeira da papa costuma estar assim, às vezes com livros ou com outras coisas que vou encontrando pelo caminho.

No outro dia apanhou-me este cesto e achou-lhe piada. Batia com a mão ou então abanava-o, de tal forma que até bateu com ele na tola, mas não deve ter feito grande estrago porque nem chorou, ficou apenas muito sério!
 Portanto, para concluir, dêem espaço às vossas crianças para crescerem ao ritmo delas, sem pressas e essencialmente com muito afecto, que é disso que mais precisam. Lembro-me tão bem de, quando era criança, brincar com terra, areia e água e fingir que eram cafés, bolos, etc. E como era feliz... :)

Pedagogia Waldorf 1
Pedagogia Waldorf 2

Desejo um dia carinhoso a todos.

Comentários

  1. Não percebi!... o meu arroz a nadar em manteiga é internacionalmente conhecido!!!!

    ResponderEliminar
  2. Concordo que as coisas mais simples acabam por ser as mais estimulantes para as crianças.
    A criatividade da criança começa desde o nascimento e os adultos sem se aperceberem começam desde logo a condicioná-la com o que acham eles ser o mais interessante.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Ainda não sou mãe mas identifico-me quer com os cosméticos naturais que adquiriste bem como esta filosofia "não consumista" de educação infantil! PArabéns pelo Blog e pela inspiração!

    ResponderEliminar
  4. Deixo-te uma dica de algo que o meu gosta: fraco de vinagre (com vinagre lá dentro)!

    :)

    ResponderEliminar
  5. Olá Anabela, gostei imenso do teu cantinho e da tua filosofia de vida. (Creio que temos ideias em comum). Vou seguir a tua caminhada, e quem sabe aprender um pouco mais.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. yupi, yupi!! eu sabia... :) cá por casa também somos adeptos... o meu adorava garrafas com água! quando for maior e não levar tanto as coisas à boca experimenta "objectos da natureza"? o meu adorava pinhas, bocadinhos de cortiça, pauzinhos, pedras grandes da praia, conchas (que depois pintamos juntos, por exemplo..) ...

    ResponderEliminar
  7. Olá Baunilha.

    Ora pois, já ando a juntar todas essas coisas para lhe dar. Pedras iremos apanhar um dia na praia, conchas (das maiores) já pedi à minha sogra, que costuma apanhar, pinhas já pedi à minha mãe e cortiça ao meu pai que tem para lá um bocado já guardado há bastante tempo. Depois mostro tudo. Nesta fase dos dentes está complicado porque tudo o que vem à rede é peixe, ou seja, vai tudo à boca.

    Com tempo colocaremos em prática todas as ideias.

    Bjs e obrigada pelas dicas (a garrafa de água vou experimentar)

    ResponderEliminar
  8. Olá Anabela!!
    Adorei seu blog é muito inspirador, obrigada por partilhar todo o seu amor...
    Clara

    ResponderEliminar
  9. Olá Anabela!!
    Adorei seu blog é muito inspirador, obrigada por partilhar todo o seu amor...
    Clara

    ResponderEliminar
  10. Olá Anabela!!
    Adorei seu blog é muito inspirador, obrigada por partilhar todo o seu amor...
    Clara

    ResponderEliminar
  11. Olá Anabela!!
    Adorei seu blog é muito inspirador, obrigada por partilhar todo o seu amor...
    Clara

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Finalmente consegui!!!

Olá a todos.

Há já algum tempo que pedi ajuda aqui no blog para perceber o que é que fazia mal quando tentava fazer pão em bolinhas. O post foi este e nele recebi uma ajuda preciosa da Humming. Na altura recusei-me terminantemente a comprar um máquina de fazer pão porque queria aprender a fazer sozinha. Bom, mas parece que a minha teimosia não venceu porque acabei por comprar uma.

De qualquer forma continuei com o mesmo problema, o pão fica massudo e nunca com aquele aspecto fofinho que vejo em muitos blogues. Acabei por me resignar à evidência de que o problema estaria no meu forno, ou, pelo menos, pensava eu.

Bom, mas o que quero contar é que no outro dia (não sei bem porquê) fiz uma coisa diferente que foi desfazer o fermento em cima da farinha em vez de o derreter na água morna. Então não é que a massa ficou muito melhor para moldar e as bolinhas ficaram fofinhas?! Nem queria acreditar! Será que andava a fazer isto mal o tempo todo? Fica aqui uma imagem das bolas fofinhas que me sa…

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…