Avançar para o conteúdo principal

Organização VIII - Sistema para organizar as poupanças

Olá a todos,

Hoje venho falar de algo que, em tempos de crise, talvez dê muito jeito. Provavelmente há pessoas que já fazem isto. Eu não fazia e confesso que, como não fazia, acabava por gastar mais dinheiro em futilidades, por este não estar devidamente direccionado.

Talvez também seja uma boa ajuda para aquelas pessoas que compram tudo a crédito e que, ao fim de algum tempo, têm dívidas até à ponta dos cabelos. Com este método talvez aprendam a comprar as coisas apenas e só quando há dinheiro para isso.

Um método para controlar as despesas já tinha falado aqui. Este que vou falar hoje é parecido mas tem a ver com poupança. O objectivo é que o que resta do ordenado do mês seja repartido, depois das despesas pagas, por diferentes poupanças. Isto, claro quando sobra alguma coisa, pois pelo que vou vendo nas notícias, é cada vez mais complicado poupar.

Portanto, primeiro é preciso pensar por onde querem distribuir o que resta do ordenado do mês. O que aconselho primeiro é serem despesas anuais que tenham, isto porque é muito mais fácil ir juntando um pouco cada mês e na altura ter-se o dinheiro disponível sem grande esforço, para não haver surpresas.

Por exemplo:

- Seguro do carro - 250 € 

Dividem este valor por 12 meses (250 : 12 = cerca de 21 €) e ficam a saber que valor poupar a partir do mês em que a despesa é paga. Se pagam em Fevereiro, começam a poupar em Março.

Depois de todas as despesas anuais orientadas (o que não tenham anual, aconselho a ter pois, no geral, sai mais barato) podem passar então aos projectos. Poderão ser férias/viagens (algo onde as pessoas se endividam muito), obras em casa, compras para a casa (ex.: electrodomésticos). 

O método é o mesmo com a diferença de que em vez de serem os 12 meses, poderão ser menos ou mais consoante o prazo que queiram dar. As férias poderão fazer 12 meses na mesma, já as obras em casa poderão ter necessidade de um tempo mais curto. Quanto aos valores terão de ser valores aproximados pois os preços são variáveis. 

Não é preciso ser algo exacto, aliás não se consegue, mas o verdadeiro objectivo é fazer com que o dinheiro tenha já um destino certo quando se recebe, evitando que esteja disponível para ser gasto onde não se deve.

Consegue-se alcançar o que se quer na mesma, só que leva mais tempo. As vantagens de fazer isto, além da que já referi anteriormente é que as pessoas talvez consigam reaprender a gastar aquilo que têm e não aquilo que não têm, que esqueçam que existem cartões de crédito e que vivam vidas mais tranquilas, que sintam prazer no convívio com a família e amigos e não nas compras que foram fazer naquele dia. 

No fim de contas é tentar libertarmo-nos deste consumismo que nos persegue.

Experimentem, não deve custar muito. Eu já estou a pôr em prática o que aqui falei, veremos se dá frutos :-)

Desejo um dia poupadinho a todos!

Comentários

  1. Excelentes dicas, todos os conselhos são excelentes nos dias que correm desde que visem poupar;)

    ResponderEliminar
  2. eu faço sempre isso para o seguro do carro, vacinas da minha cadelinha e o canil para ela para qundo vou para fora.
    não custa tanto e vai-se poupando!

    ResponderEliminar
  3. Óptimas dicas! Faço sempre isso para a conta poupança do meu filho e recentemente comecei a fazer com o seguro do carro. Tenho om pequeno cofre com envelopes e vou guardando lá esse dinheirinho. Estou também a pensar fazer um para a comunhão do filhote que é para o ano. Assim evitam-se dores de cabeça!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Finalmente consegui!!!

Olá a todos.

Há já algum tempo que pedi ajuda aqui no blog para perceber o que é que fazia mal quando tentava fazer pão em bolinhas. O post foi este e nele recebi uma ajuda preciosa da Humming. Na altura recusei-me terminantemente a comprar um máquina de fazer pão porque queria aprender a fazer sozinha. Bom, mas parece que a minha teimosia não venceu porque acabei por comprar uma.

De qualquer forma continuei com o mesmo problema, o pão fica massudo e nunca com aquele aspecto fofinho que vejo em muitos blogues. Acabei por me resignar à evidência de que o problema estaria no meu forno, ou, pelo menos, pensava eu.

Bom, mas o que quero contar é que no outro dia (não sei bem porquê) fiz uma coisa diferente que foi desfazer o fermento em cima da farinha em vez de o derreter na água morna. Então não é que a massa ficou muito melhor para moldar e as bolinhas ficaram fofinhas?! Nem queria acreditar! Será que andava a fazer isto mal o tempo todo? Fica aqui uma imagem das bolas fofinhas que me sa…

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Como conseguir refeições rápidas e saudáveis [com uma lista de ingredientes a ter sempre em casa]

Das várias ementas e preparações da semana que já publiquei, só numa delas partilhei as refeições que iria fazer nos almoços. De resto todas as ementas que lá estão, são para as refeições que fazemos ao jantar. 
Mas lá porque não falo sempre dos almoços, não quer dizer que não tenha de os fazer. E aqui tenho alguns truques para conseguir ter uma refeição minimamente saudável, em poucos minutos. 
Normalmente oriento-me pelo menu que o Tiago tem na escola, para garantir que não repito acompanhamentos e que alternamos carne e peixe. Uso também restos do jantar da noite anterior e garanto que há sempre sopa. Muitas vezes o meu almoço e do maridão é uma boa tigela de sopa, que acompanhamos com uma sandes, um wrap ou algo do género.





Deixo-vos então uma série de truques que me ajudam a acelerar a confecção das refeições (muitos já falei noutros posts) e os ingredientes que tenho sempre em casa, para garantir que despacho o almoço em pouco tempo. É claro que a lista varia de acordo com as prefer…