Avançar para o conteúdo principal

Livro "O Monge que Vendeu o seu Ferrari" - Robin Sharma

Livro _O_Monge_que_Vendeu_o_seu_Ferrari_Robin_Sharma
Provavelmente muitos de vocês já leram o livro "O Monge que Vendeu o seu Ferrari". Eu só o li agora e percebo porque faz tanto sucesso. Adorei e a principal razão de ter gostado tanto dele é pelo facto de me ter apercebido que de uma forma ou de outra, já pratico um pouco a sabedoria do Julian, mesmo sem saber. Senão vejamos.

Os meus momentos de silêncio matinais são cada vez mais introspectivos. penso muito naquilo que realmente gosto de fazer e nos passos que preciso dar para manter o que tenho e chegar onde quero. Muito focada, mais do que antes.

Quem sofre de ansiedade, sabe que a nossa mente inventa problemas onde eles não existem e dramatiza tudo ao quadrado. Uma técnica que me tem ajudado imenso é forçar o pensamento numa situação específica que me acalme. E recorro a ela sempre que me sinto mais em baixo. Tentar encontrar algo de positivo em todas as situações, principalmente nas difíceis, também ajuda. Faz-nos mudar a perspectiva e relativizar. 

Deixei de fazer planos no início do ano. Se houve coisa que o minimalismo me trouxe foi a capacidade de selecção. Mais do que destralhar coisas, tenho destralhado pensamentos. Procuro apenas concentrar-me em fazer aquilo que me deixa feliz, dando pequenos passos em direcção a esse objectivo, seja em que altura do ano for. E ser persistente. Mesmo que faça pouco, o importante é fazer. 

Aos poucos também vou tendo a calma e serenidade para perceber que tudo tem um tempo certo para acontecer. Não preciso querer fazer todos os projectos aos mesmo tempo. Se há algo que não resulta, então é porque ainda não era a altura certa disso acontecer. 
Em seguimento disto vem a parte do desenvolvimento pessoal. Para que possamos ver sucesso exterior, precisamos trabalhar primeiro o nosso interior. E é óbvio que não estou a falar de sucesso financeiro, estou a falar de algo tão simples como ter percebido que para poder ensinar ao meu filho a ter mais calma, a saber lidar com a frustação e a não sofrer tanto por antecipação, tive de trabalhar primeiro essas coisas em mim. Porque mais do que as palavras, o que eles copiam mesmo são as nossas acções e atitudes no dia-a-dia. 



Outra parte importante do livro é quando se fala sobre a questão de aproveitarmos melhor o tempo, não necessariamente de forma quantitativa mas qualitativa. Seleccionar apenas e só aquilo que está de acordo com o que queremos alcançar. Daí a introspecção e o silêncio diários serem tão importantes para não perdermos o rumo.

Ajudar os outros é mais um dos ensinamentos de Julian. E apesar de sentir que consigo fazer muito mais do que faço, percebo o que o autor quer transmitir quando diz que quando trabalhamos para melhorar a vida do outro, indiretamente estamos a melhorar a nossa também. 

Deixei para o fim a parte que eu penso que é a mais importante, talvez por ser aquela que tenho tentado trabalhar mais e a que tem tido um impacto mais produndo na redução dos meus níveis de stress e ansiedade, viver o presente (lá está o nome do blog). Em constante aprendizagem mas muito feliz por olhar para trás e sentir que fiz um grande progresso. 

E sim, isto de certa forma é a review do livro. Mais do que recomendadíssimo!

Reviews de outros livros





Nota: livro trazido da biblioteca.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…