Avançar para o conteúdo principal

Livro "Querida Mãe" - Eduardo Sá

opinião_livro_querida_mãe_eduardo_sá
Créditos
Tenho que dizer que foi um parto difícil, a leitura deste livro. Nunca tinha lido nada deste autor e esta leitura apenas se proporcionou agora porque o livro me foi oferecido. 

O livro fala essencialmente da forma hoje em dia se educam [erradamente] as crianças e de toda a problemática à volta disso. Está dividido em cinco capítulos:

  1. As crianças
  2. Os adoslescentes
  3. A escola
  4. A família
  5. A mãe
Em cada um deles fala um pouco sobre as questões mais pertinentes como as dificuldades escolares, as relações familiares difíceis, a falta de tempo para brincar, o pesado horário escolar ou a culpa dos pais.

Não querendo deixar uma impressão demasiado negativa sobre o livro, descrevo apenas o que gostei e não gostei sobre o mesmo. Fica ao critério de cada um decidir se vale a pena ler ou não.

O que gostei: a perspectiva do autor sobre os vários temas relacionados com a educação. Que não tem de ser um 8 nem um 80, que o nosso sistema educativo não está a ir num bom caminho e que as crianças não são números nem coisas, são pessoas que merecem ser respeitadas. Muitas foram as passagens do livro em que sorri por ter acabado de ler algo que digo tantas vezes aos pais. A necessidade das crianças brincarem ou o excesso de actividades extra-curriculares são apenas alguns exemplos.

O que não gostei: o livro não tem uma linguagem muito acessível e é demasiado repetitivo (a razão de ter sido difícil terminar a leitura). Li a mesma frase mais do que uma vez e o autor dá uma volta enorme para dizer algo simples. Achei cansativo. 
O título também engana muito. Não achei que o livro fosse direccionado para as mães, de todo. Fala para pais e educadores em geral. 

Para saberem a minha opinião sobre outros livros, podem ir aqui.

Comentários

  1. Por acaso andava curiosa sobre esse livro, até porque gosto das crónicas do Eduardo Sá nalgumas revistas que vou apanhando. Mas assim sendo acho que vou poupar uns trocos e alguma amiga tiver para emprestar, logo leio! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tiver oportunidade, pegue no livro num hipermercado ou onde possa dar uma olhadela para ver o tipo de linguagem. Se achar que vale a pena e que não pode esperar pela amiga, compre.
      As opiniões são sempre muito subjectivas. O que eu posso não apreciar, outros podem gostar muito.
      Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…