Sweet Monday* - Como recuperar de uma depressão [10 passos]

fevereiro 13, 2017 Anabela (Aproveitar a Vida) 9 Comentários

como_recuperar_de_uma_depressão
De vez em quando recebo um email a perguntar o que fiz para recuperar da minha depressão. Já falei disso algumas vezes no blog mas nunca fiz um post assim mais completo. Cá está ele.

É importante esclarecer que as dicas ou sugestões que aqui deixo são as que resultaram para mim e podem não resultar para outras pessoas. Vejam este post apenas como uma linha de orientação para começarem por algum lado. Sei que é difícil ter vontade para fazer o que quer que seja. Parece que nada faz sentido e não vemos luz ao fundo do túnel. É preciso mesmo fazer um grande esforço para dar os primeiro passos. Eu senti uma enorme dificuldade. No entanto também percebi que ao fazer alguma coisa, por mais pequenina que fosse, fez crescer a vontade de tentar fazer mais actividades. Comecei a conseguir sair do buraco em que estava e a recuperar da depressão. Ainda hoje utilizo muitas destas dicas para evitar recaídas.

Façam psicoterapia
É sempre o primeiro conselho que dou a quem me pede ajuda. Fez maravilhas pela minha recuperação. Podermos falar à vontade sobre todos os vossos medos, dramas e dificuldades, sem estarmos com receio de sermos criticados. É libertador. E o facto de termos orientação profissional faz muita diferença. Não é a mesma coisa que falar com um amigo ou familiar, que tem sempre tendência para dizer frases como "não tens razão para estares assim" ou "anima-te" ou a pior de todas "tens de sair dessa". A sério, não digam estas coisas a alguém com depressão, que só vão piorar a situação.
Por isso, procurem um bom psicólogo e façam algumas sessões de psicoterapia. Comigo ajudou imenso e ainda hoje faça algumas sessões ocasionais, se sentir que estou mais em abaixo.

Façam alguma actividade física 
A razão é muito simples, o exercício físico liberta endorfinas no cérebro, substâncias que proporcionam uma sensação de bem-estar e tranquilidade. Ajudam a reduzir o stress e a ansiedade, aliviam as tensões, ajudam o corpo a descontrair e melhoram o humor e a concentração. Para mim o que resultou foram caminhadas. Além de as poder fazer com a companhia dos meus pais, também ajudava o facto de poder observar melhor a paisagem que me rodeava.
Quando estou longos períodos sem poder fazê-lo (normalmente no Inverno), sinto muita falta.
Não precisam ir inscrever-se num ginásio. Começar por dar um simples passeio, sozinhos ou acompanhados, para apanhar ar fresco e sol, pode ser o suficiente para se motivarem a fazer mais no dia seguinte. É só preciso começar.

Tomem suplementos de vitaminas e minerais
As vitaminas e minerais têm um papel importantíssimo no nosso sistema nervoso. Carências de vitamina B6, B9 (ou ácido fólico) e C, bem como minerais como o zinco e o magnésio estão associados a estados de ansiedade, tristeza e depressão. É claro que a toma de suplementos não é suficiente para tratar depressões graves mas em casos precoces da doença, podem fazer toda a diferença. Mais que não seja, melhoram o ânimo e poderá ser a ajuda necessária para se conseguir pôr em prática as outras dicas que ajudarão a recuperar. NOTA: devem falar sempre com o vosso médico assistente, antes de tomarem qualquer suplemento, principalmente se já tomam antidepressivos.

Tenham um hobbie em contacto com a natureza
Para alguns, esta dica pode parecer parva, mas há estudos que demonstram que o contacto com a natureza reduz o stress e melhora o humor. E eu já senti isso literalmente. Consegui eliminar algumas crises de ansiedade simplesmente indo para o jardim, fazendo algum trabalho de jardinagem. É também uma das razões pelas quais vão lendo muito sobre jardinagem e cultivo aqui no blog. Dedicar-me às plantas tem sido uma terapia maravilhosa para manter o meu bem estar emocional. Recomendo seriamente tentarem alguma coisa. E isto vem de alguém que apesar de adorar a natureza, não ligava nenhuma a plantas e nem sabia muito bem distinguir a salsa dos coentros!

Dêem atenção ao vosso sono
Domir bem é importantíssimo para uma boa recuperação. Normalmente, quando algo não está bem emocionalmente, o dormir mal é um dos primeiros sinais de alerta. Infelizmente, comigo foi ao contrário. Este sintoma foi dos últimos a aparecer e talvez por isso tivesse tanta dificuldade em perceber que tinha uma depressão. Depois de passar por uma fase em que tive mesmo que tomar comprimidos para dormir, decidi que daria mais atenção ao meu sono. Adoptei todas estas técnicas e digo-vos que foi bastante benéfico na qualidade do meu sono. Vale a pena tentarem.

Aprendam a dizer não 
Uma das razões que me levou a ficar doente foi o excesso de trabalho. Eu queria fazer tudo e mais alguma coisa e o meu corpo disse "basta!". Saber dizer não é muito difícil, eu que o diga. Mas com o tempo vamos conseguindo ver os benefícios que isso traz e a aprender a colocar as prioridades no sítio certo. Este ponto é mais importante para evitar recaídas do que propriamente para ajudar quem está deprimido. Tem sido essencial para mim. Dou-vos um exemplo pessoal recente em que tive que dar dois passos atrás, para bem da minha sanidade mental. O ano passado tive bastantes meninos nas explicações. O problema é que também tinha aqui duas alunas a tempo inteiro, como se fosse ATL. Tinham o tempo delas de explicação e depois ficavam cá por casa. Além disso, também ia buscar e levar meninos à escola (cobrava apenas o combustível) apenas para que pudessem frequentar as explicações. Já estão a perceber mais ou menos o rebuliço que era o meu dia-a-dia. Tinha um ordenado melhor sim, mas no fundo não compensava as chatices e o cansaço que tinha. A par disso tinha menos tempo para a família e andava muito mais irritada. A qualidade das explicações não era a habitual e isso notou-se nas avaliações dos alunos. Foi preciso respirar e pensar no que queria realmente fazer. No início do ano lectivo seguinte, deixei de fazer transporte (acabei por levar o meu carro para abate pois estava muito velhinho) e pedi a dois alunos para sairem (falei apenas com os pais, claro!). Além disso, passei a dar explicações apenas individualmente (colocava dois alunos por hora). Neste momento tenho um horário mais ocupado, mais qualidade nas explicações, melhores resultados nos alunos, um ordenado mais baixo, é certo mas uma paz de espírito enorme que dinheiro nenhum neste mundo consegue pagar. Ah, e continuo a minha regra de ouro de não dar explicações ao fim-de-semana.

Cuidem-se e mimem-se
Não estou a dizer para ir fazer uma massagem ou algo parecido mas sim começarem por dar atenção aos detalhes do dia-a-dia. Fazer uma mesa bonita de pequeno-almoço ou fazer um lanche mais elaborado. Tentar um penteado novo ou fazer uma máscara facial são exemplos simples do que podem começar a fazer para melhorar a vossa auto-estima.

Leiam
O que realmente resultou para mim foram livros mais técnicos, em que era obrigada a estar mais concentrada no que lia e isso evitava que pensasse em parvoíces. Comecei por ler temas como organização, gestão de tempo, dicas para o lar e como fazer produtos caseiros. Comecei a ficar muito motivada a melhorar a minha vida em muito sentidos e foi como que o motor de arranque para a minha recuperação.

Escrevam
Escrever tem um poder libertador incrível. Transferir para o papel todos os nossos medos e angústias ajuda a relativizar e a ver as coisas noutra perspectiva. Também ajuda a que não estejamos a pensar nisso constantemente. Tenho o meu caderninho, onde vou colocando tudo o que me preocupa e também o que me deixa feliz.

Apanhem sol
Eu fico deprimida se fico muitos dias sem apanhar sol. É por isso que o inverno é tão difícil para mim. Ir à praia e ficar a apanhar aquele solinho maravilhoso deixe-se sempre muito bem disposta e cheia de energia. E isto tem uma explicação simples, o nosso cérebro produz mais serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de felicidade e bem-estar) quando estamos expostos ao sol. Não se esqueçam é de o fazer apenas dentro do horário seguro e por curtos períodos.

De momento é o que me lembro mas vou sempre tentando melhorar este post. Sempre que for actualizado, direi alguma coisa.

Termino este post fazendo um pedido a quem já passou por uma depressão e conseguiu recuperar, que deixe o seu testemunho na caixa dos comentários. Pode ser uma ajuda imensa a quem está a passar por isso e não esteja a conseguir melhorar.

Tenham uma excelente semana!

Poderá também gostar destes artigos

9 comentários:

  1. Minha querida Anabela
    Que post rico trazes nos tu hoje, muito bom mesmo, tem mesmo o essencial para dar dar inicio à caminhada do auto conhecimento .
    Para mim a grande vantagem de ter tido duas depressões foi ter me conhecido.
    Sim é preciso investir em nós , conhecendo nos e a psicoterapia é essencial.
    No meu caso também o e desenvolvimento espiritual e ter um blog ajudou me mt .
    Esta viagem do se conhecer nunca mais acaba e ainda bem estamos sempre a adquirir ferramentas novas para lidar com o que enfretamos dia a dia.
    todas as dicas são mesmo cruciais e comeca se com passinhos de bebé e é mt importante não desistir.
    Por isso quem está a passar pir uma depressão acreditem a luz está lá temos mesmo é de caminhar em direção a ela .
    Todos nós temos a capacidade de sermos felizes.
    A ti Anabela bem hajas por partilhares isto tudo e parabéns minha querida por tudo o que conseguiste e tens feito .
    Grande bj
    Lulu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Lulu, muito muito obrigada por estas palavras maravilhosas. Felizmente tive apenas uma depressão. Tenho conseguido perceber os sinais de quando não estou bem e trato de agir de imediato para não deixar a coisa piorar. Sem dúvida que o processo de recuperação obriga a um grande auto-conhecimento. E isso é tudo.
      Bjs e obrigada eu!

      Eliminar
  2. Já passei por isso e fiz todos esses passos. Nunca pensei falar tantoooo com um estranho (o psicólogo). Fiz yoga, conheci varias cidades, caminhei muito, li, escrevi imenso... e tive muito apoio também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O apoio é mesmo muito importante. Também tive bastante e, sem dúvida, que foi um dos motivos da minha recuperação.
      Bjs e obrigada pela partilha.

      Eliminar
  3. Já passei por várias depressões... umas mais graves do que as outras.
    Cada vez acho mais, que por vezes precisamos de desligar. As depressões são cada vez mais comuns, devido ao ritmo de vida que levamos. Focamo-nos em tudo o que não importa. Vivemos insatisfeitos, porque temos contas para pagar, filhos para criar e não nos focamos nunca no que precisamos para manter a nossa sanidade mental.
    A minha experiencia, diz-me que só saímos de uma depressão, quando o nosso corpo está preparado. Por mais que nos tentem ajudar... se não for a altura certa, dificilmente conseguimos sair da escuridão.
    Acho mesmo que ter a nosso lado, alguém compreensivo, que nos dê espaço e tempo para nos recompormos, é fundamental.
    A psicoterapia é um exercício fantástico que rapidamente aprendemos a praticar sozinhos. Mas mais uma vez, só na altura certa é que funciona.
    Acredito que o caminho para sair de uma depressão, é a aceitação do nosso eu. A certa altura, voltamos a ligar a ficha, devagarinho e a querer ver o sol. Devagarinho, percebemos que somos importantes e que a nossa felicidade depende apenas de nós próprios. Devagarinho vamos querendo fazer por nós, aquilo que nos faz sentir bem. Escrever, caminhar, correr, dançar...
    Não duvidem... levantamo-nos sempre sozinhos. O apoio é fundamental, mas a força para nos erguemos,vem sempre de nós. E não é a medicação que nos ajuda (a não ser em casos de "doença mental"), somos nós e apenas nós, que encontramos a força que não sabíamos existir, mas que esteve lá sempre. O dia certo chega, depois de chorar tudo o que se tem a chorar, depois de dormir tudo o que se tem a dormir, depois de descansar a mente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vanessa, agradeço do coração este testemunho sentido. Também sempre disse que a medicação ajudou mas não foi essencial, simplesmente acelerou o processo de recuperação. Não é mesmo por aí. E realmente, a causa da minha depressão foi, entre outras coisas, o excesso de trabalho. Foi imperativo desligar, acalmar e colocar as prioridades no lugar certo. Temos sempre a tendência de nos colocarmos em segundo plano e isso não pode dar grandes resultados. Gostei muito da última frase e senti que aconteceu assim comigo. Bjs

      Eliminar
  4. Obrigada, Anabela, pelo teu post!
    Não podia concordar mais contigo e com as tuas sugestões, penso mesmo que se podem aplicar a todas as pessoas, ainda que não exclusivamente em alguns casos.

    Um beijinho,
    Paula

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada Paula. Espero que o post ajude quem está mais em baixo porque há sempre forma de dar a volta.
      Bjs

      Eliminar