Livro "How children learn" - John Holt

maio 22, 2014 Anabela (Aproveitar a Vida) 2 Comentários



Adorei ler este livro e aconselho vivamente. Poderá ser um bocado chato de ler porque o autor faz uma espécie de diário da sua convivência com as crianças mas posso dizer-vos que volta e meia saía-me um "ah, que engraçado!" porque é curioso ficar a saber como é que as coisas funcionam na cabeça dos pequerruchos. Muitas vezes pensava que estava a ajudar o Tiago, em relação às brincadeiras e cheguei à conclusão que era mesmo eu que o deixava desmotivado. A explicação para isto vem num dos pontos mais abaixo.

Fica aqui um resumo do que achei mais importante. Essencialmente passa pela aquisição da linguagem (li a maior parte numa altura em que o Tiago estava a começar a falar mais) e pelas brincadeiras.

- As crianças criam grupos de palavras e só depois alargam e especificam melhor o vocabulário. Ex.: utilizar vaca para chamar tudo o que é gado.

- Nunca devemos corrigir palavras mal ditas, nunca. Faz diminuir a sua auto-estima. Preocupar apenas em dizer as palavras corretamente. Eles chegam lá por eles próprios. Já comprovei isto, com o Tiago, inúmeras vezes.

- Devemos sempre tentar perceber o que nos querem dizer. Ajuda a motivar para falar mais. Outro facto comprovado com a realidade. O Tiago queria sempre que percebêssemos o que dizia, não valia a pena tentar disfarçar para ele desistir, que não deixava.

- As brincadeiras mais simples, menos estruturadas e inventadas na hora são mais apreciadas. Aquelas em que mostramos como se faz são as que menos sucesso têm porque eles sentem-se inferiores, já que não conseguem fazer tão bem. Por exemplo, numa pintura, quando pintava algo mais bonitinho para o Tiago, ele desinteressava-se rapidamente. Depois de ler o livro passei a deixar que fosse ele a começar e tentava imitar. Resultou na perfeição.

Percebi que o melhor é deixar que sejam eles a explorar e a descobrir sozinhos, a trilhar caminho. Estamos lá apenas para ajudar na exploração das descobertas. Isto permite que aprendam sempre por curiosidade e não porque tem de ser.

Um abrir de olhos importante, não deixem de ler.

Poderá também gostar destes artigos

2 comentários:

  1. Olá Anabela,
    É impressionante a quantidade de erros que cometemos com os nossos tesouros sem termos a menor noção de que o estamos a fazer! Pensamos sempre que estamos a ajudar e afinal só prejudicamos.
    Sabes, quando o tesouro mais velho entrou para o 1º ciclo, queria tanto que ele ganhasse confiança nele próprio, que o prejudiquei. Estudava sempre com ele, até ao dia em que numa reunião, a professora nos pediu para não o fazer, pois nos testes, ela percebia perfeitamente quem eram os meninos que estudavam sozinhos e os que estudavam acompanhados, pois estes últimos, quando chegavam ao teste, sentiam falta da "moleta" e isso repercutia-se nas notas. A partir da altura em que ele passou a estudar sozinho e em que eu só estava com ele para tirar dúvidas, as notas dele passaram a ser muito, mas mesmo muito melhores.
    Adquiriu confiança nele próprio.
    Bjs,
    MJ
    PS: desculpa a extensão do comentário.

    ResponderEliminar
  2. Parece muito interessante o livro...juntar à minha lista de livros para ler :)

    ResponderEliminar