Avançar para o conteúdo principal

Poupar tempo na cozinha II

Fonte
E cá está a segunda parte das dicas de poupança  na cozinha. Realmente, colocar algumas delas em prática (outras já faço há muito tempo) tem dado resultados muito positivos.

1. Ler a receita toda antes de começar a cozinhar
Importante para percebermos qual a ordem que devemos seguir porque há determinadas instruções que podem ser feitas enquanto esperamos por outras que já iniciámos e que levam mais tempo a cozinhar. Além disso, convém saber bem determinados passos para que a receita resulte bem.

2. Usar ferramentas em condições
Por exemplo, usar facas bem afiadas acelera e muito o processo de corte dos alimentos. Além disso ter a faca certa para o tipo de corte que se quer fazer também é importante. Ex.: em pão ou bolos usar faca de serrilha.

3. Usar apenas produtos da estação
Além de pouparmos dinheiro porque estes produtos são mais baratos também não precisamos de fazer muito mais para termos uma receita deliciosa.


4. Não é preciso descascar tudo
Há muitos vegetais que podem ser assados com casca, desde que esta seja bem lavada. Batata doce, cenouras, beterrabas, courgettes e beringelas são bons exemplos disso.

5. Prepare os ingredientes antes de começar a cozinhar
Depois de queimar alho na frigideira tantas vezes, percebi que esta dica é da máxima importância. Preparar tudo antes de começar poupa muito tempo, acreditem. Por exemplo, quando faço pizza e enquanto a massa descansa antes de a esticar, corto e coloco os ingredientes que vou usar, todos juntos numa taça. Assim, depois de esticar é só colocar tudo em cima. A pizza fica pronta num ápice.

6. Prepare as panelas, tachos e frigideiras
Com isto o que pretendo dizer é que devem ter os utensílios que vão usar pré-aquecidos, ou seja, comecem por aquecê-los vazios e só quando estiverem quentes é que devem colocar os ingredientes lá dentro. Eu não fazia isto e quando passei a fazê-lo apercebi-me de duas coisas. Os alimentos ficavam muito mais saborosos (porque não amoleciam até a frigideira aquecer) e cozinhavam muito mais depressa. Um hábito a manter, sem dúvida.

7. Guardar pequenos restos de refeições ou temperos
Um resto de molho do frango ou o tempero de filetes de peixe provavelmente vai para o lixo, não? Pois por aqui aproveito tudo. Já usei o resto do tempero de filetes de pescada num prato de esparguete e devo dizer que fez toda a diferença no sabor. Por isso, toca a guardar todos os bocadinhos para posterior utilização. Podem inclusivé congelar.

8. Limpem à medida que cozinham
Penso que esta dica nem precisa de grandes apresentações. É a grande diferença entre as pessoas organizadas na cozinha e as que deixam tudo um caos depois de cozinharem. Não admira que depois não tenham vontade de o fazer. Um exemplo prático: quando faço um bolo, vou guardando os ingredientes à medida que os uso. Já observei uma pessoa a fazer um e que não tem este hábito. Quando damos por isso, já não há espaço para pousar o que quer que seja em cima da bancada e a pilha de loiça para lavar até assusta.

9. Aumente a temperatura do forno
Isto aplica-se a peixe e vegetais, que cozinham melhor a altas temperaturas. Por exemplo, se o receita pede temperatura do forno a 180ºC, podem colocar a 200ºC, podem poupar cerca de 15 a 20 minutos do tempo total de confecção.

10. Cozinhe feijões em água mineral
Não sabia, mas ao que parece cozinhar feijões em água mineral é mais rápido. Os elementos adicionados na água ajudem a reduzir o tempo de cozedura.

Por hoje é tudo. Bons cozinhados!

Comentários

  1. Olá,

    Obrigada pelas dicas. Fiquei curiosa quanto à receita de esparguete com o tempero dos filetes, podes desenvolver? é aquele tempero ´líquido do limão e alho que fica depois de se escorrer o peixe? como fizeste?
    Obrigada,

    Filipa
    www.welc-home.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Filipa.

      É isso mesmo. Guardei esse restinho e no dia seguinte foi o que coloquei na frigideira, com um bocadinho de azeite. Deixei os alhos alourarem um pouco e depois deitei o esparguete, cozinhado previamente al dente. De seguida juntei atum e deixei cozinhar apenas mais um minuto. No fim polvilhei com salsa picada. Ficou uma delícia.

      Bjs

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…