Avançar para o conteúdo principal

Alimentação mais saudável - Sementes de chia

Nos últimos meses, tenho conseguido introduzir na nossa alimentação uma variedade de sementes e bagas. As que irei falar aqui no blog, sempre que tiver tempo para isso, serão as de chia, sésamo, linhaça, papoila e as bagas de goji. Para hoje, as sementes de Chia.

O que são sementes de chia?

 Salvia hispanica, popularmente chia, é uma planta herbácea da família das lamiáceas , nativa da Guatemala e das regiões central e austral mexicanas. Parecem sementes de papoila, mas são na realidade sementes de chia, umas sementes pequeninas pretas, brancas ou acinzentadas, considerado por muitos especialistas em nutrição um superalimento da natureza. São encontradas em países como o México, Argentina, Bolívia, Guatemala, Peru e Colômbia.

Caracerísticas nutricionais
As sementes de chia são ricas em antioxidantes, cálcio, ferro, fósforo, selénio, potássio e magnésio. São ainda uma boa fonte de proteínas (cerca de 16g/100g), apresentando todos os aminoácidos essenciais, e de fibras solúveis e insolúveis.

A chia é considerada uma das melhores fontes de ácidos gordos ómega 3 e 6, proporcionando o rácio perfeito entre o ómega 3 e ómega 6, o que é ideal para uma alimentação saudável. O ómega 3 é um nutriente muito importante sobretudo para crianças, grávidas, estudantes ou para quem tenha uma actividade essencialmente intelectual.

Análise nutricional resumida (por 100g):
Energia: 2471 KJ / 595 Kcal
Proteínas: 16g
Hidratos de carbono: 44g
Lípidos: 31g 

Benefícios
O facto da chia ser uma fonte riquíssima de ómega 3, torna-a num alimento protector do coração e do cérebro. A ingestão de alimentos ricos em ómega 3 é muito importante para, por exemplo, prevenir problemas cardiovasculares, estados depressivos e diminuir os triglicerídeos no sangue.As sementes de chia pertencem, tal como as de linhaça, às sementes mucilaginosas, isto é, formam um gel pectinoso incolor à superfície quando entram em contacto com a água. Estas mucilagens são muito benéficas para o bom funcionamento dos intestinos. Em casos de azia, consumir 1 colher de chá de sementes de chia dissolvidas durante alguns minutos num pouco de água, ajuda a absorver o excesso de ácido. O consumo regular destas sementes é ainda útil para controlar a pressão arterial elevada e a diabetes. Devido à sua riqueza nutricional e ao facto de saciarem facilmente são muito úteis para atletas ou para quem procura um aporte extra de energia. E como são isentas de glúten, são uma excelente opção também para celíacos. Todos podem beneficiar da riqueza nutritiva da chia, incluindo os animais de estimação. 

Como consumir
Para consumir as sementes basta misturá-las, inteiras ou moídas, em muesli, iogurtes, saladas, batidos, sopa, pratos de massa. Moídas podem substituir uma quantidade da farinha em receitas de pão, biscoitos ou bolos. Pode ainda misturar uma colher de sopa de sementes a 250 ml de água (aumentam várias vezes o seu volume), deixar repousar uns minutos e beber simples, misturado com sumo de limão ou com batidos de frutas. Pode também usar as sementes dissolvidas em água em algumas receitas como substituto do ovo. As sementes de chia, ao contrário das de linhaça, não precisam ser cozidas ou moídas para se usufruir dos seus nutrientes, pois são facilmente digeridas.
Alguns exemplos de refeições/sobremesas onde costumo colocar as sementes de chia.

Fonte: www.sementesdechia.com
assinatura

Comentários

  1. Obrigada por esta partilha, adorei ficar a saber mais sobre esta semente, tenho de a experimentar.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. OLá Anabela.
    Gostava de saber onde se pode comprar este tipo de sementes que fala.
    Obrigada
    Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra.

      Eu comprei no Celeiro mas já vi no Minipreço e no Pingo Doce, na secção de produtos dietéticos/naturais.

      Bjs

      Eliminar
  3. Gosto muito.
    Cà em casa, usamos em quase tudo.

    ResponderEliminar
  4. Por acaso comprei este fds para também começar a introduzir na minha alimentação. :)
    Bjnhs.

    ResponderEliminar
  5. ola :) gostava de saber se as crianças podem consumir sem problemas ?
    bj
    http://osmeuspestinhas.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá.

      Se os filhotes não tiverem nenhuma restrição alimentar, penso que não há problema nenhum. Mas nada como falar com o pediatra.

      Eu dou ao Tiago.

      Bjs

      Eliminar
  6. Bom dia,
    em pesquisa para introduzir este tipo de sementes na minha alimentação, vim parar a este blog ao qual dou os parabéns pelas dicas tão uteis para o nosso dia a dia ;)
    É possivel por exemplo juntar num iogurte: sementes de sésamo e linhaça, girassol e bagas goji?

    Um beijinho

    Sandra

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…