Avançar para o conteúdo principal

Contas a zero...ou quase! (Objectividade nas poupanças)

Olá a todos.

Antes de mais obrigada pelo carinho no post anterior. Fiquei muito contente por terem gostado do vídeo. Logo à noite já respondo melhor a cada comentário e tiro todas as dúvidas que surgiram.

O post de hoje é para falar de poupanças e sobre a objectividade das mesmas. Desde que li os livros e vi mais vídeos sobre esta família, percebi que tinha que fazer algumas mudanças na forma como poupava. O meu problema é que poupava dinheiro mas sem objectivo certo, ou seja, dizia que estava lá para qualquer eventualidade. Ora, ter o dinheiro que conseguimos poupar todo junto, numa conta poupança normalíssima e sem um objectivo certo talvez não seja a melhor das opções. É que, quando temos objectivos, tendemos a ser mais produtivos, a ter mais força de vontade para fazer o que é necessário. No fundo, a sermos mais felizes.

Como não tinha as poupanças organizadas (ia tudo para o mesmo "saco"), o que me acontecia depois eram várias situações desagradáveis:

Imagem retirada da internet
1. A conta-poupança tinha prazos demasiado alargados (de 3 anos para cima), o que impossibilitava que pudesse aproveitar taxas de juro mais atractivas no momento (era penalizada se retirasse o dinheiro antes de tempo);

2. Tinha meses do ano mais complicados porque aparecia seguro e imposto do carro, assinaturas de revistas, impostos e outras coisas mais, para as quais não tinha poupado antecipadamente (e normalmente aparecia tudo na mesma altura);

3. Sendo explicadora, os meses de Verão eram complicados porque ficava sem ordenado;

4. O dinheiro gasto em férias fazia sempre uma grande mossa na conta (não porque gastássemos muito mas sim porque tinha o problema descrito em cima);

5. Sempre que queria fazer uma remodelação ou decoração na casa, ou adiava sucessivamente ou acabava por gastar demasiado dinheiro.

Neste momento estou muito mais tranquila no que se refere a poupanças e despesas. O que fiz? Isto:

1. Apliquei o método dos envelopes
É óbvio que não consigo fazer tudo certinho e direitinho. Para algumas pessoas isto pode parecer ridículo, mas garanto que nunca poupei tanto como agora e isto tem-me ajudado a perceber onde gasto mais dinheiro e de que forma posso poupar mais, sem pôr em causa a minha qualidade de vida.

2. Tenho sub-contas específicas de poupança
Poderão informar-se junto do vosso banco se existe esta possibilidade. São uma espécie de contas poupança que não costumam ter custos de manutenção e têm uma taxa de juro, que cresce se não mexerem no dinheiro. É pequenina mas é melhor que nada. Penso que estas contas podem ser criadas apenas online, sem necessidade de ir ao balcão. É importantíssimo saber se existe algum tipo de penalização por retirarem dinheiro, seja qual for o valor, pois se existe, então não interessa. O que se pretende é ter o dinheiro investido de alguma forma, mas disponível na mesma, em qualquer altura. As que tenho estão divididas por categorias e todos os meses sai uma pequena fatia para cada uma delas, de forma automática.



Saúde (este é o tal para qualquer eventualidade)



Férias


Impostos
 



Casa



Vencimento Verão


Carro



3. Tenho um mealheiro "anti-roubo" :)

Serve para ir colocando lá moedas encontradas nos bolsos e algum dinheiro que poupo ao longo do ano.
Chamo-lhe anti-roubo porque só dá para abrir com um abre-latas, não podemos tirar dinheiro se precisarmos de uns trocos. É aberto antes de ir de férias e serve para os gastos extra das mesmas ou até para algumas compras nos saldos de Verão. Na mesma altura compro outro e começo a poupar para o próximo ano. 



4. Tenho ainda dois envelopes para colocar de parte, todos os meses, algum dinheiro para:
- Saídas românticas (ex.: almoçar ou jantar fora, uma escapadela de fim-de-semana ou um passeio especial)
- Diversas assinaturas (Deco e duas revistas de decoração)

E é este o meu conselho, sejam mais objectivos nas vossas poupanças, façam de acordo com o vosso dia-a-dia, este post é só um exemplo. Imaginem que são despesas certas todos os meses. Evitem ter muito dinheiro na conta à ordem (isto para quem consegue viver sem ser de ordenado em ordenado) porque ao terem dinheiro disponível têm mais gastos supérfluos. Se o dinheiro não estiver disponível, leva-vos a pensar se realmente precisam desse produto ou serviço e talvez procurem outras opções, mais saudáveis, mais baratas, mais ecológicas...

Eu consegui viver de forma mais tranquila porque não há stress de cada vez que há uma despesa extra e tenho poupado mais embora ganhe menos. Ah, e se estranharam não ver nada relacionado com o Tiago, não se preocupem, porque embora não tenha falado, elas existem. E nunca é cedo demais para poupar para os livros, materiais, prendas especiais, actividades, escola, etc.

Espero ter ajudado a tornar a vossa vida mais feliz :)

Desejo um tarde poupadinha a todos.
assinatura

Comentários

  1. Olá Anabela,
    Já conhecia o blog da família americana e é de facto uma fonte de inspiração - têm ideias boas e praticáveis que cada um ajustará à sua realidade, claro.

    O método dos envelopes é efectivamente eficaz, porque há um controlo apertado sobre os gastos, daí que resulte. Embora não o esteja a usar de momento, já experimentei e fiquei surpreendida. Como existe um plafond em dinheiro vivo, não há "extrazinho" que não se repense.

    Gostei do mealheiro anti-roubo, ihihi! Bom sistema =)

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Interessante o teu método. Talvez me inspire e faça algo do género.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso desta ideia das várias contas poupança... acho que vou aplicar isto porque realmente também tenho prazos alargados nas minhas e volta e meia entro em stress com as contas que aparecem.

    ResponderEliminar
  4. Muito interessante a ideia dos envelopes. Vou pensar nisso. No que diz respeito ao mealheiro anti-roubo faço igual , todos os anos temos o ritual de abrir as latas ( eu tenho 1 e o meu marido outra) e vai tudo para o chão e contamos. Este dinheiro é para a férias. Em relação ao dinheiro no banco, fiz uma asneira há pouco tempo , destinei uma parte numa conta poupança a 3 anos e arrependi-me quase logo. Mas já não havia como lhe mexer. Temos que pensar bem antes. Obrigado pelas dicas.

    ResponderEliminar
  5. anabela,
    vou ver com o meu banco como funciona isso das "sub-contas".
    nós temos alguns euros aplicados em aforro e depositos a prazo mais longos e depois uma conta de poupança que no fundo serve para por o dinheiro de parte, para depois pagar o seguro e a revisao do carro, alguma despesa extra que não estávamos á espera e caso o mês seja mais longo que o ordenado ;) no fundo estamos a por tudo no mesmo saco e acho que não é a melhor forma de organizar/gerir as poupanças pois acabamos por mexer no dinheiro na mesma.

    em relaçao aos envelopes, tb uso mas mais para despesas correntes. para amealhar nem sempre consigo, pois acabo por lá ir "mexer" :)

    obrg pela partilha!

    ResponderEliminar
  6. Olá Anabela. Uma pergunta qual é o banco onde fizeste esse tipo de conta? É que nos meus não tem e não encontro.

    ResponderEliminar
  7. Bem adorei a ideia das sub-contas!!! Não faço ideia se o meu banco permite mas é uma óptima ideia.
    Também eu tenho contas poupança normais, outras automáticas mas essas sub-contas mais direccionadas para cada objectivo é muito boa ideia... Tenho de averiguar isso.

    ResponderEliminar
  8. Anabela, eu também comecei a adoptar o sistema dos envelopes e acreditem que apesar de ganhar menos ordenado agora do que antes, consigo poupar muito mais! Todos os meses faço logo a distribuição: saúde, vestuário e outros envelopes. Assim já fico com uma ideia do que sobra. Depois, quando preciso de comprar alguma coisa, ao ver o dinheiro "vivo" na mão penso muitas mais vezes antes do gastar, se de facto preciso mesmo. É muito melhor do que passar o MB e não ver o dinheiro a sair! Depois informa-me disso do Banco onde tens as "sub-contas", por favor.

    ResponderEliminar
  9. Já agora, só uma dica para quem tem o dinheiro investido a prazos longos: informem-se no Banco (ou site) de quanto é a penalização se mexerem no dinheiro agora e vejam se não compensa desmobilizar o dinheiro antes do depósito terminar e subscrever agora um novo, com prazo inferior e taxas muito superiores. Pode compensar!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…