Avançar para o conteúdo principal

13 dicas para ajudar o seu filho a comer melhor (Post muuuuito longo)

13_dicas_para_ajudar_o_seu_filho_a_comer_melhor
Não tenho tido problemas de alimentação com o Tiago, ele come lindamente, consegue estar algum tempo sentado a comer tanto em casa como num restaurante e a atitude dele perante a comida ou o acto de comer é natural, sem stress e quase uma verdadeira alegria. Acredito que este sucesso se deve, em parte, as estas dicas que aplico e que ajudam a que ele coma bem, com grande variedade e sem grandes esquisitices. Espero que vos ajude se a hora da refeição for um tormento.

Crie rotinas na hora da refeição
As rotinas transmitem segurança às crianças pois estas sabem o que esperar, não há surpresas. Crianças seguras normalmente são mais tranquilas e, consequentemente, comem melhor. Tente, por isso, que as refeições sejam à mesma hora, no mesmo sítio (evite a todo o custo andar atrás do seu filho com o prato na mão) e antecedidas por um ritual (neste caso lavar as mãos, por exemplo). A rotina também ajuda a que o organismo se habitue a ter um ritmo diário.
Inclua a criança nas refeições em família desde cedo
Ajuda-o não só a criar laços fortes com a família mas também a perceber como se deve comportar à mesa. Além disso torna o processo mais interactivo em vez de o foco e a atenção estarem exclusivamente no seu filho. A pressão sobre ele é demasiada e é provável que fique mais renitente em comer. Tente, por isso, mudar os seus horários em função dos dele. Se comia às 13h00, passe a comer às 12h30, se essa é a hora do almoço do seu filho. (Foi o que eu fiz e tem sido maravilhoso porque comemos com muito mais calma e despachamo-nos mais cedo).
Deixe-o participar na preparação da comida
Uma excelente oportunidade para brincadeira e ao mesmo tempo descontração antes da refeição. Além disso ajuda-os a desenvolverem a coordenação motora fina. (O que faço por aqui é dar-lhe um recipiente de plástico com brinquedos pequenos para ele mexer com uma colher de pau e fingir que é comida. Fica ao meu lado na bancada, em cima da sua cadeira e até lhe meto um avental. Distrai-se imenso!)
Não associe comida com brincadeira nem o deixe ver televisão
Prejudica  muito a relação que se estabelece com a comida e a percepção dos sabores ou do que se está a comer. (Cá em casa o almoço é feito sem televisão. Já o jantar é quando vemos as notícias. Curiosamente é ao almoço que ele come melhor e é também quando conversamos mais com ele. Não preciso dizer muito mais, pois não?)
Dê o exemplo
Não se ponha a comer um frango assado ou um bitoque se o seu filho tem peixe cozido no prato. Dê o exemplo porque as crianças copiam o que faz e não o que diz. (Só digo que, desde que o Tiago faz as refeições connosco à mesa, passámos a comer de forma ainda mais saudável).
Introduza "comida de dedo" desde cedo
Não só liberta os pais para comerem as suas refeições ao mesmo tempo da criança como lhes dá uma lufada de ar fresco na auto-estima (sentem-se uns crescidos por comerem sozinhos).
Algumas das refeições do Tiago são estas...


 
 

Ah, e vamos ajudando para não andar a voar comida pelo ar :)
Congratule o seu filho quando este exibe boas maneiras
Reforço positivo é sempre bom. Mais tarde terão recompensa (Eu, pelo menos, já tive. Ele fica sentado num restaurante durante algum tempo sem fazer porcaria).
Dê-lhe pequenos lanches em vez de grandes refeições
Se a hora da refeição é sempre complicada, então não se preocupe tanto com isso e tenha mais atenção ao que ele come ao longo do dia. Em vez de lhe dar doces e afins, tente encher pequenas caixinhas com fruta, cereais, queijo, fiambre e deixe-o saborear à vontade. Às vezes não é o que se mete à frente dele mas a forma como se apresenta. Deixe-o sempre ser ele a comer sozinho. Nas primeiras vezes poderá estragar e comer pouco mas com o tempo isso irá melhorar. (Fiz isto no pequeno-almoço do Tiago. Ele não é muito fã de papa, e iogurte não dou todas as manhãs, principalmente se lhe quiser dar ao lanche. Então decidi preparar-lhe um prato com pequenos pedaços de torrada de pão escuro, cereais que ele come como se fossem batatas fritas, queijo e fruta variada. Na maioria das vezes o prato fica vazio).
Não desista à primeira de um determinado alimento
Se o seu filho resiste à primeira tentativa de um novo alimento, não desista. Tente oferecer, pelo menos, mais 8 vezes em situações distintas. Se então não quiser mesmo ou se se agoniar é porque não gosta mesmo e, nesse caso, não insista. Faça a regra de experimentar primeiro antes de recusar. Só com várias tentativas é que as crianças se habituam ao sabor e acabam por gostar do alimento. (O Tiago não gostou de tomate, alface e feijão verde à primeira tentativa mas depois de oferecer mais vezes passou a comer estes alimentos, tomate então, adora!) 
Leve o seu filho a um mercado
Que tal serem eles a escolher as frutas e os vegetais (dentro do razoável)? Passeie com eles num mercado, nos corredores destes alimentos e deixe-os sentirem o cheiro e admirarem as cores. Poderá fazer milagres... 
Nunca recompense o seu filho com comida.
Nunca é bom porque ele vai querer sempre comer porcarias para fazer o que lhe pede. Tente que as recompensas sejam passeios, actividades fora do habitual, acontecimentos especiais, etc...)
Seja  honesto
Se lhe diz que é a última colherada, então que assim seja.
Seja criativo
Invente nomes para os alimentos, faça caras no prato, corte os alimentos em formas engraçadas. Enfim, dê asas à sua imaginação, afinal os olhos também comem.

Provavelmente muitas das dicas já aplicam, outras talvez não (eu não aplico todas) mas o importante é que os vossos filhos não vejam a hora da refeição como um tormento ou obrigação mas sim um momento de prazer, de segurança e sem stress. Quero apenas deixar duas ferramentas fabulosas que ajudam a conter a sujidade que eles fazem enquanto comem, uma é este tipo de babete...


...a outra é uma toalha de plástico (esta não uso mas devia usar!!!) para colocar debaixo da cadeira da criança. No fim basta sacudir e limpar/lavar ambas.

Espero ter ajudado de alguma forma os papás que "lutam" com os seus filhos na hora da refeição.

Desejo um dia nutritivo a todos
assinatura

Comentários

  1. Os teus posts são sempre lindos. Às vezes dá-me vontade de ser pequenina e ser tua filha.
    Foi bom ler este post. Ainda há tempos apreciava um documentário em que se via a Mãe dizer ao filho pequenito, que ainda estava a experimentar comidas novas e não as conhecia: «Não mexas na comida; não se brinca com a comida». Quando descobrimos o mundo precisamos do tacto, achei um disparate darem prioridade às maneiras à mesa, enquanto o pequenito não faz ideia do que são as coisas. Fiquei a pensar: quando for Mãe vou ser considerada uma javardolas. Pelo que percebo, incentivas a comida de dedo e obtens bons resultados. Fiquei contente! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá humming :)

      Obrigada pelas palavras.
      Sim, incentivo imenso. Olha até fui um pouco criticada ou melhor, avisada para evitar isso que ele depois não queria comer com talheres.

      Sinceramente não quis saber do aviso porque vejo que é das melhores opções que podia ter tomado. O Tiago adora a hora da refeição e isso para mim é suficiente. Ah e já usa muito bem a colher ou o garfo ;)

      Bjs grandes
      Anabela

      Eliminar
  2. Fico contente, cá em casa aplico quase tudo. Inclusive a Letícia diz que quando for grande quer ser, entre outras coisas, chef de cozinha (adora cozinha comigo). Quanto à parte da criatividade: cá em casa temos sopa da Cinderela, sopa da Ariel (= sopa de peixe), salada da Jasmine, árvores pequeninas (= bróculos)... resulta mesmo! Acho que a única coisa que a minha filha não aprecia muito é puré de batata.

    Beijinho... excelentes dicas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Mafalda

      Ainda bem que gostaste :)

      Adorei essa criatividade toda.

      Bjs

      Eliminar
  3. Anabela, há muito tempo que vejo o seu blog e é uma inspiração diária! Dou por mim a fazer lá em casa muitos dos seus conselhos e que ótimos conselhos! É muito bom termos onde nos inspirar e melhorar o nosso dia a dia! Queria-lhe fazer uma sugestão: podia-nos dar dicas das refeições que dá ao seu filhote? Tenho uma bebé que fez agora 1 ano e não tenho quase ideias nenhuma do que lhe posso vir a dar para ela comer. dou-lhe sempre sopa e fruta acho imprescindivel nunca deixar de lhe dar legumes e fruta e quero que ela tenha uma alimentação, o mais saudavel possivel. A pediatra diz para introduzir a pouco e pouco as nossas refeições, mas custa-me estar-lhe a dar por enquanto coisas mais elaboradas. Beijinhos e obrigada!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vera.

      Fico muito contente por gostar do blog. Ainda bem que ajudei a melhorar o seu dia-a-dia, de alguma forma.

      Quanto à alimentação da pequenina, não há grande segredo. O que fiz cá em casa foi antes adequar a nossa alimentação à dele. Menos sal, menos condimentos e colocar alimentos bem coloridos no prato. Legumes cozidos a vapor (ou em água), a eles juntar milho, queijo, tomate... É tão simplesmente isto que faço. O prato dele nem sempre é assim colorido mas tento que haja variedade para que ele possa petiscar um bocadinho disto e daquilo. Para eles é muito giro e acabam por comer melhor.

      Também me vejo em situações em que não sei como hei-de variar e outras em que ele come normalmente sem grande variedade, no entanto o meu primeiro pensamento é colocar sempre alguma coisa que ele possa tirar aos bocadinhos sem necessidade da colher ou garfo.

      Não sei se ajudei muito mas veja os pratos que coloquei neste post para ter algumas ideias.

      Bjs

      Eliminar
  4. Olá Anabela,
    Adoro o teu blog e tal como tu também tenho um pequenito que adora comer e, felizmente come de tudo.
    Aplico quase todos os tópicos que identificaste. Os pequenos lanches é que não consigo dar, uma vez que o meu R está no colégio.
    Quanto a fazer a comida, quando estou na cozinha ele mesmo vai buscar um tacho e uma colher de pau e faz de conta que cozinha. Até leva o tacho para a mesa e diz que está quente. LOl
    Obrigada pelas sugestões de arrumação que vais deixando,pois com a vida de correria que levamos são suguestões divinais.

    um beijinho
    Ana Tavares

    ResponderEliminar
  5. Olá Anabela,
    Adoro o teu blog e tal como tu também tenho um pequenito que adora comer e, felizmente come de tudo.
    Aplico quase todos os tópicos que identificaste. Os pequenos lanches é que não consigo dar, uma vez que o meu R está no colégio.
    Quanto a fazer a comida, quando estou na cozinha ele mesmo vai buscar um tacho e uma colher de pau e faz de conta que cozinha. Até leva o tacho para a mesa e diz que está quente. LOl
    Obrigada pelas sugestões de arrumação que vais deixando,pois com a vida de correria que levamos são suguestões divinais.

    um beijinho
    Ana Tavares

    ResponderEliminar
  6. Olá Anabela,
    Adoro o teu blog e tal como tu também eu tenho um "piqueno" lá por casa e aplico quase todas as tuas sugestões. A unica que não consigo mesmo controlar é na questão de dar os pequenos lanches, uma vez que ele está no colégio, mas a hora de refeição é sempre feita em família. De facto, ele desfruta muito mais e sente-se importante. Felizmente que come de tudo e não é nada esquisito, mas acho que nessa questão o colégio também foi muitissimo importante.
    Acho que também o meu R. vai ser chef de cozinha, pois de vez em quando lá se lembra e lá vai ele buscar o tacho e a colher de pau e começa a cozinha. Até leva o tacho para a mesa e diz que está quente.
    Obrigada pelas tuas dicas que bastante utilidade nos dão no nosso dia a dia.

    Um beijinho

    Ana Tavares

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…