Avançar para o conteúdo principal

Manobras de distração


Olá a todos.

Umas das coisas que incentivo cá em casa é a exploração e para o Tiaguinho explorar verdadeiramente não posso estar 24 sobre 24h com os olhos em cima dele (apesar de muitas vezes ser necessário porque ele lembra-se sempre de fazer disparates)

É importante explorarem porque só assim desenvolvem a criatividade, aprendem a brincar sozinhos e se tornam mais autónomos. Não estou aqui a dizer que o deixo sozinho durante muito tempo, o que quero dizer é que faço as minhas coisas normalmente sem estar em cima dele constantemente. Por exemplo, se estou a cozinhar e ele está no jardim, vou olhando para o que está a fazer, se está a brincar algumas destas coisas...

 

...deixo-o à vontade, mas sempre a ver de minuto a minuto. 

É claro que às vezes lá faz as suas traquinices, arranca flores, abre a água, quer subir para onde não deve, e nessas alturas convém estar em cima para não fazer asneira. De qualquer forma consigo vê-lo da cozinha e isso torna tudo mais fácil. (Por vezes também me tira do sério quando quer fazer a mesma porcaria vezes sem conta)
Mas o que quero mostrar-vos é aquilo que faço na cozinha como manobra de distracção. Não sou daquelas mães que tiram, guardam e trancam tudo, deixando apenas os brinquedos disponíveis. Penso que também é necessário compreenderem quais são os limites e, acima de tudo, poderem explorar.

Por isso, na cozinha, não tenho nada trancado. É lá que passo a maior parte do tempo e, consequentemente, ele também. Tem de haver algo que o distraia, senão passa o tempo todo agarrado às minhas pernas. Tenho, por isso, duas gavetas e um armário com utensílios e brinquedos onde o Tiago pode mexer. As gavetas estão assim, com objectos variados e nem sempre brinquedos (consigo ter duas gavetas só para ele graças ao “destralhanço” e organização).


(a da esquerda está mais composta com outros brinquedos mas estes tubos de cartão são uma excelente distração... para comer, por exemplo!) 
 
(Tudo desarrumado porque ele farta-se de tirar as coisas lá de dentro e depois tem de arrumar... à maneira dele)

E o armário está com formas e tapetes de silicone, tacinhas, e outras coisas em que ele pode mexer sem se magoar. Tem sido fantástico porque ainda hoje se distrai com isso. É claro que ele, volta e meia, faz das suas mas o facto de estar sempre ao pé de mim ajuda a que eu consiga evitar a maior parte dessas asneiras.

No resto da casa não temos grandes bugigangas (isso ajuda, claro) por isso aplico o mesmo. É claro que, à conta disto, já me partiu algumas coisas, poucas felizmente. Por vezes tenho que me chatear para impor os tais limites que falei acima. Mas o saldo tem sido muito positivo porque vejo que é uma criança feliz e cheia de vida e criança que nunca se magoa, não dá umas quedas de vez em quando (sem grandes traumas) e não faz as suas asneiras, não acredito que seja uma criança verdadeiramente feliz.

Desejo um dia animado a todos.

Comentários

  1. Também não costumo andar muito em cima da minha. Aliás, é mais ao contrário, ela é que ainda sempre em cima de nós.
    Tem alguma dificuldade em brincar sozinha :(
    Quer sempre um de nós ao pé!

    ResponderEliminar
  2. O meu rapazote nunca teve grande autorização de mexer nas gavetas da cozinha... hehe!!
    Aqui a mãe nunca deixou... (não gosto de passar metade do dia de rabo para o ar a apanhar coisas!) :P
    Ultimamente lá o vou deixando abrir mas para tirar algo que eu ou ele precise e não para desarrumar. Esporadicamente deixo-o tirar 1 e só uma coisa para ele explorar.... mas despejar gavetas e armarios inteiros nunca teve autorização!! :P

    ResponderEliminar
  3. Que ideia gira a das gavetas com coisitas para ele mexer. As crianças desde que em segurança, devem mesmo ser incentivadas a explorar. É assim que aprendem.

    ResponderEliminar
  4. É bom perceberem que também podem imitar os grandes e mexerem em algumas coisas que estão ao seu alcance. Afinal de contas nós também gostamos de mexer caso contrário não concretizaríamos as nossas ideias!! Liberdade à pequenada....com cuidado, claro!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo :) Aliás não guardei nada da decoração da casa quando ele nasceu, só comprei aquelas borrachas que protegem de entalarem os dedos nas portas. Depois ensinei-o a não mexer ou como mexer em determinados locais. Acho importante não transformar a casa numa redoma mas ensina-los a não se magoarem e não fazerem disparates não só na nossa casa como nas casas dos outros.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Panquecas (ou crepes) sem ovos

Apetecia-me tanto panquecas e não tinha ovos em casa. Que chatice! Lembrei-me então de procurar nesse mundo maravilhoso que é a internet, se havia forma de fazer as ditas cujas sem ovos. E espantem-se, havia! A receita é a que deixo já de seguida. A minha opinião? Gostei, embora a textura fique densa em vez de fofinha. Mas não me surpreendeu, já estava à espera disto. Penso é que é capaz de ficar melhor se fizerem crepes. Só a minha opinião. Fica a receita.
Panquecas sem ovos
- 1 copo ou chávena (cerca de 200ml) de farinha - 3/4 copo de leite (para crepe colocar 1 e 1/3 copo) - 2 colheres de sopa de óleo - 1 colher de chá de fermento em pó - 1/2 colher de chá de sal
Colocar os ingredientes secos numa taça e misturar bem. Juntar o óleo e o leite aos poucos e mexer bem para não formar grumos. Aquecer uma frigideira anti-aderente (pode deitar um pouco de manteiga, se preferir) e colocar um pouco da massa. Quando esta ficar com furinhos, está boa para virar. Deixe ficar dourada de ambos o…

Organização do móvel da cozinha - antes e depois

Organização é um tema que gosto bastante de falar aqui no blog. Não faço tantos posts quanto gostaria mas isso não quer dizer que não vá fazendo pequenas organizações aqui e acolá. Gosto de ler tudo o que está relacionado porque os benefícios que me tem trazido são imensos. São eles:
- Redução de stress  e ansiedade; - Menos acumulação de tralha se existir um lugar para cada coisa; - Maior produtividade (porque não perdemos tempo a procurar coisas); - Maior rapidez nas limpezas; - Mais descanso ou momentos de lazer;
Mas com isto não quero dizer que a organização se faz num abrir e fechar de olhos. Leva tempo, garanto-vos. Primeiro porque não se consegue fazer tudo de uma vez (para ser bem feito, há que pensar bem no que se pretende) e, segundo, porque a organização escolhida pode não resultar. É mesmo na tentativa-erro. 
Cá em casa há ainda muito que fazer mas com calma e um bocadinho de cada vez, conseguimos uma maior fluidez no dia-a-dia.
Um dos cantinhos que há muito "gritava…

O que ando a comer ao pequeno-almoço

Ontem foi um dia complicado. Não que tenha acontecido alguma coisa de mal mas sim porque andei a correr, literalmente. Tive a consulta de rotina do Tiago, dos três anos. Esperei cerca de 30 minutos (depois da hora) e estive quase uma hora lá dentro. Ele está óptimo e recomenda-se. Apenas pequenas alterações na parte da sesta, a ver se as noites ficam melhores. Mas isto é tema para outro post. 
Ora, andei a correr porque quase não chegava a tempo da explicação das 16h, ainda por cima com uma nova aluna. Que stress, só vos digo. Tiago não dormiu sesta devido à hora da consulta e às 18h já ninguém o podia aturar. Deitar cedo era mais que imperativo. 
Foi um dia de correria mas que começou muito bem com um pequeno-almoço que tenho repetido todos os dias nas últimas duas semanas. E calculo que vos vá parecer bem esquisito mas eu adoro a mistura do pão, o queijo-creme e o tomate. Salpicado com coentros fica uma maravilha. Bem sei que isto não agrada à maioria e se calhar alguns até farão c…