7 de julho de 2010

Organização VIII - Sistema para organizar as poupanças

Olá a todos,

Hoje venho falar de algo que, em tempos de crise, talvez dê muito jeito. Provavelmente há pessoas que já fazem isto. Eu não fazia e confesso que, como não fazia, acabava por gastar mais dinheiro em futilidades, por este não estar devidamente direccionado.

Talvez também seja uma boa ajuda para aquelas pessoas que compram tudo a crédito e que, ao fim de algum tempo, têm dívidas até à ponta dos cabelos. Com este método talvez aprendam a comprar as coisas apenas e só quando há dinheiro para isso.

Um método para controlar as despesas já tinha falado aqui. Este que vou falar hoje é parecido mas tem a ver com poupança. O objectivo é que o que resta do ordenado do mês seja repartido, depois das despesas pagas, por diferentes poupanças. Isto, claro quando sobra alguma coisa, pois pelo que vou vendo nas notícias, é cada vez mais complicado poupar.

Portanto, primeiro é preciso pensar por onde querem distribuir o que resta do ordenado do mês. O que aconselho primeiro é serem despesas anuais que tenham, isto porque é muito mais fácil ir juntando um pouco cada mês e na altura ter-se o dinheiro disponível sem grande esforço, para não haver surpresas.

Por exemplo:

- Seguro do carro - 250 € 

Dividem este valor por 12 meses (250 : 12 = cerca de 21 €) e ficam a saber que valor poupar a partir do mês em que a despesa é paga. Se pagam em Fevereiro, começam a poupar em Março.

Depois de todas as despesas anuais orientadas (o que não tenham anual, aconselho a ter pois, no geral, sai mais barato) podem passar então aos projectos. Poderão ser férias/viagens (algo onde as pessoas se endividam muito), obras em casa, compras para a casa (ex.: electrodomésticos). 

O método é o mesmo com a diferença de que em vez de serem os 12 meses, poderão ser menos ou mais consoante o prazo que queiram dar. As férias poderão fazer 12 meses na mesma, já as obras em casa poderão ter necessidade de um tempo mais curto. Quanto aos valores terão de ser valores aproximados pois os preços são variáveis. 

Não é preciso ser algo exacto, aliás não se consegue, mas o verdadeiro objectivo é fazer com que o dinheiro tenha já um destino certo quando se recebe, evitando que esteja disponível para ser gasto onde não se deve.

Consegue-se alcançar o que se quer na mesma, só que leva mais tempo. As vantagens de fazer isto, além da que já referi anteriormente é que as pessoas talvez consigam reaprender a gastar aquilo que têm e não aquilo que não têm, que esqueçam que existem cartões de crédito e que vivam vidas mais tranquilas, que sintam prazer no convívio com a família e amigos e não nas compras que foram fazer naquele dia. 

No fim de contas é tentar libertarmo-nos deste consumismo que nos persegue.

Experimentem, não deve custar muito. Eu já estou a pôr em prática o que aqui falei, veremos se dá frutos :-)

Desejo um dia poupadinho a todos!

3 comentários:

  1. Excelentes dicas, todos os conselhos são excelentes nos dias que correm desde que visem poupar;)

    ResponderEliminar
  2. eu faço sempre isso para o seguro do carro, vacinas da minha cadelinha e o canil para ela para qundo vou para fora.
    não custa tanto e vai-se poupando!

    ResponderEliminar
  3. Óptimas dicas! Faço sempre isso para a conta poupança do meu filho e recentemente comecei a fazer com o seguro do carro. Tenho om pequeno cofre com envelopes e vou guardando lá esse dinheirinho. Estou também a pensar fazer um para a comunhão do filhote que é para o ano. Assim evitam-se dores de cabeça!

    ResponderEliminar