Projecto da semana* - Jarra em papel fácil, rápida e muito barata

projecto_da_semana_jarra_em_papel_simples_e_rápida_de_fazer.
Tal como já vos tinha dito, ando numa de gastar o material de artes criativas que tenho cá em casa. Por isso, os projectos que vão saindo todas as semanas têm como premissa usar coisas que já tenha cá em casa. Esta semana saiu esta jarra em papel, muito simples, rápida de se fazer e com um custo muito reduzido. O projecto todo não deve ter custado mais do que 1€. É claro que não tem o aspecto de uma jarra de cerâmica mas para uma opção low cost, acho que não fica nada mal. 
Material que usei:
- 2 folhas para impressão de fotografia (um dos lados deve ser brilhante)
- Tesoura
- Cola multiusos (pode ser líquida ou em baton)
- Tesoura
- Frasco de vidro (daqueles de grão ou feijão)

1º - Pegar nas folhas e dobrar cada uma em forma de leque. Fazem uma primera dobra de 1cm, viram e dobram novamente no sentido oposto. Fazer isto até terminar o papel.
2º - Colar as duas folhas pela últimas dobras de cada uma, como na imagem. Voltar a colar a outra ponta da mesma forma, de maneira a formar um cilindro. 
3º - Depois basta enfiar o cilindro, de forma a ficar com o frasco por dentro. 
4º - Para colocar as flores, enchi primeiro o frasco, coloquei-o no local que queria e enfiei o papel por baixo. Super simples e prático. 
projecto_da_semana_jarra_em_papel_simples_e_rápida_de_fazer.
NOTA: optei por não colar o papel ao frasco porque assim posso mudar quando quiser ou até colocar noutro recipiente mais largo. Além disso, é mais fácil mudar as flores e a água e não corro o risco do papel ficar molhado.
E aqui está um projecto simples, rápido de fazer e muito barato. 
 

Mistura caseira anti-piolhos [e uma spray de prevenção]

mistura_caseira_para_eliminar_piolhos_e_spray_de_prevenção
O Tiago até à data presente, teve piolhos uma vez. Mas digo-vos que essa vez valeu por três ou quatro. Tudo porque a educadora dele na altura achou que não era preciso avisar que havia um surto de piolhos na escola. Ora, quando dei conta que ele os tinha (coçava-se imenso) já as lêndeas tinham eclodido e a cabeça dele estava cheia destes bichos minúsculos. Para piorar a coisa, os piolhos têm a mesma cor do cabelo dele. Estão a ver o meu desespero, certo? E foi por desespero que experimentei esta mistura que partilho hoje (o spray de prevenção já usava de vez em quando). 

Na verdade, não há garantias que mate os piolhos mas garanto que se torna mais fácil tirá-los e há menos probabilidades de haver uma recaída (o que implica não ter de usar tantas vezes o champô comercial, que danifica o couro cabeludo). Eu, que pensava que já tinha tirado tudo da cabeça dele (e atenção que, sendo rapaz, o cabelo curto torna tudo mais fácil), depois de aplicar a emulsão é que a vi a carrada que ainda lá estava. 

A mistura que fazem é esta:

- 1 medida de azeite
- 1/4 medida de vinagre de sidra
- algumas gotas de óleo essencial de alfazema 

NOTA: devem verificar se não há alergia a este óleo essencial, colocando um pouco nas costas da mão. Se não ficar vermelho após algum tempo, então poderão usar na cabeça.

Misturam muito bem e aplicam na cabeça da criança. Deixam estar uns 5 minutos com a cabeça enrolada numa toalha, por exemplo. Não devem deixar muito tempo devido ao vinagre.

Depois com um pente fino, passam pelo cabelo todo, de forma a retirar todos os piolhos e lêndeas. Não pode mesmo ficar nada. Vejam o cabelo várias vezes. 

Depois lavam normalmente. Aqui poderão usar o champô de farmácia, para garantir que não fica nenhuma lêndea viva ou o champô normal se acharem que a cabeça ficou mesmo limpa. 

Agora explico a razão dos três ingredientes. O azeite ajuda a que eles fiquem no sítio e comecem a asfixiar, o vinagre ajuda a quebrar a espécie de cola que os piolhos e as lêndeas têm e torna mais fácil (e menos doloroso) retirá-las; e o óleo essencial de alfazema porque também os asfixia, já que os piolhos não gostam de cheiros fortes. Outros óleos que poderão usar são o de jasmim, laranja, tangerina, ylang-ylang, eucalipto, alecrim ou gerânio.
spray_anti_piolhos_prevenção
Para o spray de prevenção, colocam num frasco de spray pequeno (como na imagem) uma mistura de 1 parte de vinagre de sidra para umas 6 de água. Juntam umas 5 a 10 gotas de óleo essencial de alfazema e borrifam o cabelo com esta mistura depois de cada lavagem. Atenção, que NÃO é para enxaguar. Deixam o cabelo secar normalmente com esta mistura. O cheiro a vinagre desaparece quando o cabelo estiver seco.  Curiosamente, foi quando estive sem usar esta mistura no Tiago (tinha acabado e por preguiça, não fiz mais) que ele apanhou piolhos.
spray_anti_piolhos_prevenção
Outra precaução que devem ter é verificar se há partilha de chapéus na escola. Por exemplo, uma queixa que se fez na escola do Tiago, foi a de misturarem os chapéus dos miúdos todos numa caixa. Assim não há champô nem emulsão que valha porque os piolhos até fazem uma festa!

Espero que esta receita vos ajude, se estiverem desesperados!

Sweet Monday* - 5 questões que me ajudam a destralhar [e uma dica]

5_questões_que_me_ajudam_a_destralhar
Se há coisa que me tem ajudado a ter um dia-a-dia mais pacífico, é sem dúvida, destralhar. Eliminar objectos (e ser muito mais selectiva no que entra cá em casa) ajuda-me não só a libertar espaço mas a libertar tempo, que no fundo é o mais importante. Gosto muito de cuidar da minha casa, mas não ao ponto de ser escrava dela.

Decidir o que fica, o que vai e qual o melhor método para organizar não é um processo rápido nem fácil, mas com o tempo vou ficando cada vez melhor a fazê-lo. O que me tem ajudado imenso a simplificar e acelerar as decisões são estas cinco questões, que faço sempre que estou a livrar-me de tralha. 

1 - Uso este artigo com regularidade?
Esta questão ajuda-me não só a decidir o que sai cá de casa mas também o que entra. Foram muitas as vezes em que o número de utilizações de um artigo não justificou a sua compra. 

2 - Poderá outro objecto fazer a mesma função?
Em caso de responderem não à primeira pergunta mas ainda assim ficarem na dúvida se deve ir, façam esta segunda. Imaginem que se livram do artigo que usam poucas vezes mas que entretanto faz falta. Como resolveriam a situação? Haverá outro objecto que poderá fazer a mesma função? A propósito deste ponto, partilharei durante esta semana, no facebook, uma dica que mostra isto na prática. 

3 - Estou a guardar este artigo porque pode fazer falta?
Embora coloque esta questão em terceiro, é das primeiras que faço. Tem sido assim que tenho dado/vendido muita coisa. Se já me fez falta alguma coisa depois de a ter tirado cá de casa? Sim. Morri por causa disso? Felizmente, não. Procuro sempre outras soluções e haverá sempre volta a dar. O saldo tem sido positivo.

4 - Este objecto justifica o espaço que ocupa?
Não é a pergunta que faço com mais frequência porque aplico-a muito a peças de mobiliário, mas digo-vos que a resposta negativa a esta questão já evitou a compra de alguns móveis e ajudou-me a decidir doar outros que tinha e não precisava (uma estante da sala, outra da cozinha, outra do hall e uma sapateira).

5 - Este objecto justifica o tempo que perco a limpá-lo?
Esta questão tem-me ajudado a ser mais minimalista no que toca a objectos decorativos. Se é algo que nem está muito de acordo com o tipo de decoração que gostamos e ainda tenho de perder tempo a limpar, então é para ir. A rotina de limpar o pó é mais rápida e fico livre para fazer actividades que gosto. 
5_questões_que_me_ajudam_a_destralhar

A DICA
Já há alguns anos que tenho esta cesta na entrada (mais um daqueles tesouros que a minha sogra guardava no sotão), onde vou colocando objectos que são para doar. Sempre que algo deixa de servir ou já não precisamos e que ainda está em boas condições, vai para lá. Quando enche, está na altura de levar a quem precisa. 

E assim tenho conseguido deixar a minha casa mais leve e organizada. Espero que vos ajude também.

Menu da semana #70

Créditos
Segunda-feira: Lulas à Provençal 
Terça-feira: Brás de atum e camarão (com batata frita caseira) 
Quarta-feira: Esparguete do mar
Quinta-feira: Quesadillas vegetarianas 
Sexta-feira: Almôndegas de pescada com esparguete


Nota: por norma, as refeições são acompanhadas por sopa e salada. As receitas sem links são as que sigo de livros ou que são muito comuns. Poderei publicá-las caso queiram, é só dizer.