Experiências de sábado* - Arroz fingido de couve-flor


Depois de ter feito este desafio, consegui ir variando alguns acompanhamentos. A beringela grelhada com queijo está no top. Fica óptima como uma simples entrada. Ainda assim, fui procurando outras opções. Esta é uma que está a ser bastante falada e fiquei com muita curiosidade em experimentar, arroz fingido de couve-flor. Fiquei agradavelmente surpreendida e tenho de voltar a fazer para o resto da família (fiz só para mim). O Tiago provavelmente vai adorar, já o maridão tenho de esperar para ver. Não é muito complicado de fazer. Lavei e sequei muito bem a couve-flor, antes de triturar na picadora. Reservei. Depois, numa frigideira, alourei cebola e alho num pouco de azeite. A seguir, deitei uns cubinhos de pimento vermelho e juntei uma colher de sobremesa de cominhos, colorau, coentros e açafrão. Adicionei ainda uma colher de café de canela. Mexi bem e depois juntei a couve-flor. Deixei saltear 5  minutos ao lume, mexendo de vez em quando. Depois de retirar do lume, temperei com um raminho de hortelã e coentros e um pouco de sumo de limão. Ficou delicioso.

Links da semana*

1 - Não precisava daquela mesa de centro gigante, de resto casa linda! E a vista? De cortar a respiração.

2 - Precisam de ideias para quebrar a rotina? Aqui estão vinte.

3 - Adoro este programa.

4 - Este ano tenho muita vontade de simplificar a decoração da árvore de Natal. Luzes e apenas alguns ornamentos, entre os quais as fotos anuais da praxe. Esta árvore é uma ideia.

Feijão verde em conserva

O meu pai tem uma horta com um tamanho considerável. De lá vem grande parte dos vegetais e legumes que como. Hoje sei dar muito valor mas quando era mais nova não dava importância nenhuma. Com o tempo e com a minha insistência, o meu pai foi alterando a quantidade do que cultivava em troca de variedade. Mas ainda assim lá vai cultivando certas coisas em excesso. E o pior é que são alimentos que não aprecio muito. Um deles é feijão verde. Todos os anos o meu pai cultiva quantidades enormes e depois andamos a comer até enjoar. Não gosto muito de congelar porque acho que fica com um sabor esquisito. A solução para não andar a comê-lo de obrigação e poder ter durante o inverno, foi fazer conserva. Utilizando o processo de pasteurização descrito aqui, fiz o mesmo ao feijão verde. O processo foi o seguinte:

1º - Coloquei água numa panela e deixei ferver.

2º - Cortei o feijão aos bocadinhos e deixei cozer durante 1 a 2 minutos na água a ferver.

3º - Esterilizei os frascos no microondas e as tampas num tacho com água a ferver.

4º - Coloquei o feijão cortado com a água onde cozeu dentro dos frascos. Tapei bem. 

5º - Depois dos frascos bem fechados, devem ser colocados numa panela ao lume, com água até 2/3 dos mesmos. Quando começar ferver esperar uns 15 minutos e depois desligar. Deixar arrefecer assim como está, dentro da panela (costumo deixar durante a noite). 

6º - Depois é só retirar, limpar e guardar no armário ou despensa. Não precisa de frigorífico até ser aberto. 

Fiquei muito contente. Já abri um frasco passado um mês guardado na despensa e fica óptimo.

Projecto da semana* - 8 embrulhos reutilizáveis

O embrulho pode ser um pano de cozinha ou um individual
O laço é feito com um cachecol
Poderá ser usado como porta-moedas ou uma pequena carteira.
Poderão usar um lenço, pano de cozinha ou até um avental
 
Poderá depois ser usado como saquinhos de cheiros ou para outras coisas, se for maior.
Excelente para depois guardar brinquedos no quarto dos miúdos.
A fita poderá depois ser usada na cabeça (basta que tenha medida suficiente)
 Por aqui tentamos simplificar a época festiva o mais possível. Começa pelo número de presentes que oferecemos. Vamos reduzir muito o número este ano.  E mesmo os que oferecemos, tentamos que seja comida ou algo que a pessoa precise e possa usar de imediato, escusando assim de embrulhar. Já há muito que a troca de presentes é feita de forma simples e rápida e passamos o resto do tempo a conversar ou a fazer algo em família. Talvez uma das razões de gostar tanto de passar o Natal nos meus sogros. O ano passado, no momento em que imensas pessoas estavam a fazer as suas últimas compras de Natal, nós estávamos aqui. Este ano quero repetir. 
Mas voltando ao que me fez escrever este post, gostaria de vos deixar algumas sugestões de embrulhos diferentes, que passam por usar outros materiais que não o típico papel de embrulho. Há ideias mesmo fantásticas e as que gosto mais são aquelas em que o próprio embrulho é algo que depois se pode usar. Assim não contribuímos para o imenso lixo que depois se acumula a seguir ao Natal. Os créditos das imagens estão todos aqui.

Let them be kids*...

*sem filtros